carregando...

Notícias

Notícias

USP abrigará centro de treinamento para cão-guia



26/04/2011

Programa definirá parâmetros em relação ao uso do cão e os métodos de treinamento

O governador Geraldo Alckmin lançou na última quarta-feira, 20 de abril, o Programa Cão-Guia e anunciou a construção do Centro de Referência para o Cão-Guia em um prédio sustentável dentro do campus Butantã da Universidade de São Paulo (USP). A cerimônia de assinatura do decreto de lançamento do programa também contou com a presença da secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella.

O projeto tem como objetivo a implementação do Centro de Referência para o Cão-Guia em parceria com a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP (FMVZ). O valor da obra está orçado em R$ 2,5 milhões. Além da criação e do treinamento de cães-guia para pessoas com deficiência visual, o programa definirá os parâmetros em relação ao uso do cão-guia e os métodos de treinamento. "Duas notícias boas: primeiro, o Centro de Treinamento e Estudos do Cão-Guia e, a outra, o programa, através da secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Nós temos 145 mil pessoas cegas no Estado de São Paulo, e perto de 2 milhões de pessoas com deficiência visual. E o cão-guia vai dar mais liberdade para as pessoas pegarem o metrô, o trem, poderem ir aos espaços públicos, poderem se locomover com mais segurança, com mais tranquilidade", declarou Alckmin.

Os filhotes de cachorro que farão parte do treinamento serão entregues, em um primeiro momento, a uma família adotiva, selecionada pelo programa, e que cuidará do cão durante um ano. Os filhotes serão visitados mensalmente por um membro do Centro para verificar o desenvolvimento do animal.

Após o primeiro ano com a família, o cão é encaminhado ao Centro de Treinamento, por onde passará por um adestramento intensivo, específico para guia de cegos. Nessa etapa, o animal será avaliado permanentemente por treinadores qualificados, contratados pelo centro e avaliados clinicamente por veterinários da FMVZ. O treinamento terá duração de quatro a seis meses, dependendo da evolução do animal.

A qualquer momento, os cães podem ser desclassificados do processo de treinamento, seja por ocorrência de doenças, baixa capacidade de aprendizado, agressividade e extrema submissão, entre outros. Após o treinamento, os cães serão encaminhados às pessoas com deficiência visual gratuitamente.

"Esse programa é de fundamental importância e vem no sentido de garantir maior autonomia e independência para as pessoas com deficiência visual. É um avanço na inclusão das pessoas com deficiência e, consequentemente, na garantia dos Direitos Humanos para todos os cidadãos", afirmou Linamara Rizzo Battistella. Estima-se que no Brasil haja cerca de 16 milhões de deficientes visuais, dos quais aproximadamente 2,6 milhões estejam no Estado.

Instalações
O prédio do Centro de Referência foi planejado para ser um edifício sustentável, levando em consideração o respeito ao meio ambiente. Ele terá captação de água de chuva para reuso e prevê o uso de equipamentos de geração de energia passiva (como a energia solar). Além disso, as áreas de canis, destinadas à permanência, apoio, tratamento e treinamento, terão baias cobertas e descobertas para cães em treinamento, maternidade e filhotes, isolamento, adoção e sala de banhos para os cães. O local terá capacidade para até 92 cães.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo