carregando...

Notícias

Notícias

Unicamp abre formalmente programa UniversIDADE



13/11/2014

Fonte: Universidade Estadual de Campinas

Programa UniversIDADE foi formalizado durante evento realizado no Centro de Convenções da Unicamp (Antonio Scarpinetti/Unicamp)Quem já não pensou em ter mais tempo para o esporte e para o lazer, para a arte e para a cultura, para a saúde física e a mental, e para a área sociocultural e geração de renda? E se isso fosse possível mais rapidamente do que se pudesse imaginar, sendo você um dos convidados para participar desse pacote de atividades? Tem um "porém": essas atividades não são dirigidas para crianças e jovens e sim para pessoas com mais de 50 anos. Isso já passa a fazer parte da realidade na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e esses quatro eixos temáticos estão no programa que foi batizado de UniversIDADE. A formalização do iniciativa foi realizada na segunda-feira, 10 de novembro, no Centro de Convenções. A primeira turma  iniciará suas atividades em março de 2015, com previsão de término em junho de 2016. 

O programa educativo  terá três semestres de duração, das 9 às 16h30, vinculando a educação acadêmica à educação popular para o público de meia-idade. São palestras e oficinas de artesanato, cinema, contação de histórias, alongamentos, vôlei adaptado, hidroginástica, dança, aconselhamentos, orientações nutricionais, prevenção às doenças, atividades para o consumo consciente de água, inclusão digital, direitos humanos, cidadania, entre outras. Estão inclusive programadas vagas nas disciplinas regulares para alunos especiais.               

Em solenidade realizada no Centro de Convenções da universidade, o reitor José Tadeu Jorge comentou que o projeto estava no seu programa de gestão e já tinha sido devidamente referendado pela comunidade. Participaram da cerimônia, além do reitor da Unicamp, o pró-reitor de Graduação Luiz Alberto Magna, o vereador de Campinas Cid Ferreira e a idealizadora e coordenadora-executiva do novo programa, Alice Helena De Danielli. A iniciativa conta com o apoio das unidades e órgãos da Unicamp, Associação dos Docentes da Unicamp, Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp, Prefeitura Municipal de Campinas, empresas privadas e parcerias individuais (do voluntariado). 

Segundo o reitor, a coordenadora-executiva do programa começou a desenhá-lo de maneira tímida, escrevendo três páginas. O projeto ganhou força, conseguiu agradar e foi aprovado mediante a Resolução GR 038/14. "A Unicamp ainda não possui muitas ações nessa área e por isso esta não será uma tarefa das mais fáceis. Vejo como inédita essa preocupação com a vida e com a sua qualidade. Por esse motivo, procuramos nos escorar em importantes parcerias para que esse programa conte com o envolvimento de outras pessoas, seja projetado e alcance magnitude e abrangência."              

O reitor pontuou que o programa é para a comunidade de Campinas e região. Além disso, recordou que a educação não termina nunca. “Temos que continuar aprendendo até o fim. É essa característica que confere sentido a nossa universidade para cumprir inclusive o seu objetivo de educar”, salientou.         

Em sua opinião, para que o programa tenha sucesso, é preciso ter apoio particularmente das unidades e órgãos, por eles saberem como fazer isso. "Começamos hoje um novo capítulo na Unicamp. A Reitoria oferecerá os meios e o respaldo necessários para esse trabalho, que envolverá docentes, funcionários e alunos. Esperamos em breve contar com muitas atividades.”

O pró-reitor de Graduação agradeceu a oportunidade da unidade atuar no programa. De acordo com o Luiz Alberto Magna, em 2015, com as bolsas-auxílio que estão sendo planejadas, os alunos regularmente matriculados na Unicamp estarão trabalhando para esse programa, que também não deixa de ser um programa de inclusão social. “A ideia é podermos corresponder com essa chance que nos foi confiada”, sublinhou.          

Convidado para integrar a mesa de abertura do evento, o vereador Cid Ferreira fez uma retrospectiva da sua vida até chegar à Associação dos Aposentados e Pensionistas das Indústrias Metalúrgicas e outras Categorias de Campinas, onde atua como presidente. Disse ter, desde a sua infância, preocupação com os idosos e também com a melhor forma de se preparar para a velhice. “O idoso é muito discriminado na rua e dentro de sua própria casa. Logo, vejo que esse curso vem em boa hora e creio que pode trazer muitos frutos”, frisou.     

A coordenadora-executiva do programa lembrou que o projeto começou a ser idealizado a partir de uma questão central: "quem cuidará dos idosos?". Essa inquietação  integrou um fórum sobre Longevidade e Qualidade de Vida, ocorrido na Unicamp, abordando o envelhecimento no país. "A população idosa já é maior que a das crianças e já caminha para ultrapassar a dos jovens. Por essa razão, devemos pensar desde já em nossa saúde e na nossa qualidade de vida."

Segundo Ana Helena, o desafio será priorizar ações criativas e transformadoras, as quais sejam capazes de gerar mudança na vida das pessoas e com vistas ao futuro. "Pretendemos trazer a comunidade de Campinas para dentro da nossa instituição, ampliando o seu acesso", realçou. Os interessados que tiverem dúvidas sobre algumas questões como por exemplo frequentar o curso deverão entrar em contato com Alice Helena através de e-mail. As inscrições, informa ela, possivelmente serão realizadas nos meses de dezembro e janeiro em um site a ser disponibilizado pelo programa.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo