carregando...

Notícias

Notícias

Unesp promove projeto de arte inclusiva em São Paulo



04/09/2012

O projeto de extensão ArtInclusiva, realizada no Instituto de Artes (IA) da Unesp, em São Paulo, SP, atende pessoas psicologicamente limitadas e com necessidades especiais. Busca, por meio da arte, promover a integração, a elevação da autoestima e a socialização.

O ArtInclusiva oferece, semanalmente, oficinas de pintura, circo, dança, teatro, música, cerâmica, entre outras linguagens artísticas. O projeto, porém, não é só para pessoas especiais, pois, enquanto são realizadas as oficinas, as famílias recebem atendimento.

No início do processo, os pais ou responsáveis respondem uma primeira avaliação e os participantes, um questionário de qualidade de vida, que é apresentado e reavaliado a cada 6 meses, tendo em vista a evolução de cada um.

Sob a coordenação da professora Suely Master há dois anos, o projeto conta com uma equipe de oito arteterapeutas, entre eles, psicólogos, fonoaudiólogos, músicos, atores, artistas plásticos, além de três bolsistas da graduação.

A equipe se reúne antes de todos os encontros para discutir a programação das oficinas e o desenvolvimento tanto dos participantes quanto dos profissionais. Segundo a coordenadora, Suely: "É importante, principalmente para os alunos da graduação, que, em uma universidade de artes, seja apresentada essa possibilidade de campo de trabalho e pesquisa, que é a integração da terapia com a arte".

O trabalho, que já tem mais de dez anos, está instalado há dois no IA. Segundo Valéria Rodrigues, psicóloga e arteterapeuta do projeto, "a realização das oficinas aqui no IA é muito importante para o processo de socialização". "Um dos diferenciais do projeto é que as pessoas que frequentam as oficinas passam a conviver em um lugar diferente, onde encontram cursos e atividades, não estigmatizado, no qual se sentem mais incluídos".

Para Natasha Sonna, 21 anos, bolsista de Extensão e aluna do segundo ano do curso de Arte-Teatro, "trabalhar aqui é extremamente gratificante". "Precisamos nos colocar de maneira aberta, não podemos ser arrogantes. Trabalhamos para entender o outro, entender o ser humano. É incrível, é muito bonito poder ver nos trabalhos a superação de limites."

Roberta Lima de Arruda, 30 anos, que participa das oficinas, afirma que "o ArtInclusiva é uma parte importante da minha vida, aqui tenho amigos. Gostamos de dançar, de fazer bonecos, fazer teatro. É como se tivesse um trabalho. Conheço pessoas e aprendo a fazer coisas novas, como cantar e pintar."

Também participante das oficinas, Henrique Picchioni Enoki, 34 anos, acrescenta: "Aqui é muito bom. A gente se solta fazendo circo, pintura, desenho. Gosto daqui porque também recebem a minha família. No projeto, experimentamos a arte com o objetivo de lidar com as nossas dificuldades."

As atividades, inteiramente gratuitas, acontecem às segundas-feiras, entre 14h30 e 16h30. O IA fica na rua Dr. Bento Teobaldo Ferraz, 271, Bloco I, na Barra Funda, defronte ao Terminal do Metrô.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo