carregando...

Notícias

Notícias

Subsecretário Marcos Cintra visita Parques Tecnológicos de Campinas



02/10/2013

O subsecretário de Ciência e Tecnologia, Marcos Cintra, esteve nesta quarta- feira nos Parques Tecnológicos da região de Campinas, interior do Estado de São Paulo. As visitas foram acompanhadas pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Social e Turismo do município, Samuel Rossilho, o diretor municipal de Ciência e Tecnologia, Carlos Lima, o presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara Municipal, André Von Zuben , e a equipe da Coordenadoria de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo.

Durante a visita  à Incubadora da Companhia de Desenvolvimento do Polo de Alta Tecnologia de Campinas - Ciatec,  o subsecretário conheceu as dependências do local e conversou com diretores de empresas.  A incubadora abriga 25 empresas dos setores de telecomunicação, informática e microeletrônica, entre outras.

 "As visitas realizadas hoje foram para reconhecimento e avaliação  dos empreendimentos em Campinas. A estrutura desse município no campo da pesquisa, inovação e tecnologia tem tudo  para ser um modelo para o Estado e para o País. Campinas é o único município de Sao Paulo com cinco iniciativas de Parques Tecnológicos. A parceria com a prefeitura é fundamental para o desenvolvimento e criação de novos projetos", disse Marcos Cintra.

O subsecretário  conheceu também as instalações dos Parques Tecnológicos Polis do CPqD - Fundação Centro de Pesquisa e Desenvolvimento  e o Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI).

O CPqD é uma fundação de direito privado e possui 21 empresas instaladas, gerando mais de 3 mil empregos diretos. A instituição é focada na inovação com base nas Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), tendo como objetivo contribuir para a competitividade do País e para a inclusão digital da sociedade.
 
 O CTI Renato Archer é um orgão vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e conta com cerca de 350 pessoas realizando trabalhos técnicos, científicos e de apoio direto à pesquisa. O CTI atua em três áreas: microeletrônica, software e aplicações de TI.
 
Após visitar a Universidade de Campinas, onde está sendo implantado o Parque Científico e Tecnológico Unicamp com 26 mil m² de área construída, Marcos Cintra conheceu as instalações do Museu Exploratório de Ciências. O espaço está em funcionamento desde 2005 e promove seminários, oficinas e fóruns sobre temas como meteorologia, astronomia e nanotecnologia ao público infanto-juvenil.

O último Parque Tecnológico visitado pelo subsecretário Marcos Cintra, o Techno Park Campinas, é de iniciativa privada e administrado pelo Grupo DPaschoal. Implantado em uma área total de 524 mil m²,  possui 68 empresas, sendo 42 de base tecnológica, que atuam em diversos segmentos como telecomunicações, processamento de dados e equipamentos industriais. 

"Atualmente temos 28 iniciativas para a implantação de Parques Tecnológicos no estado de Sao Paulo, muitas delas já consolidadas, como em São Jose dos Campos, o primeiro a receber status definitivo no sistema. O Governo vai trabalhar muito para operacionalizar  todas as unidades", completou Marcos Cintra.

Sobre os Parques Tecnológicos
Parques tecnológicos são empreendimentos para a promoção de ciência, tecnologia e inovação. São espaços que oferecem oportunidade para as empresas do Estado transformarem pesquisa em produto, aproximando os centros de conhecimento (universidades, centros de pesquisas e escolas) do setor produtivo (empresas em geral).
 
Para fazer parte do SPTec, a prefeitura ou a entidade gestora do parque tecnológico deve encaminhar um ofício à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo solicitando sua inclusão no Sistema Paulista de Parques Tecnológico.

Após a aprovação dos documentos, o credenciamento será efetuado por meio de uma resolução válida por dois anos.

Para obter o credenciamento provisório, o interessado (prefeitura ou entidade gestora) deve comprovar a propriedade de uma área de no mínimo 200 mil m², enviar documento manifestando apoio à implantação do parque subscrito por empresas locais, bem como centros de pesquisa e instituições de ensino e pesquisa, além do projeto básico do empreendimento, contendo o esboço do projeto urbanístico e estudos prévios de viabilidade econômica, financeira e técnico-científica.

Clique aqui para ver mais fotos da visita

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo