carregando...

VÍDEOS

ÓRGÃOS VINCULADOS

Notícias

Notícias

SP reduz o ICMS para mercado de couro



24/04/2012

Secretário, em pronunciamento, durante evento no auditório do Senai, em Franca (Ruy Jobim Neto/SDECT)

O governador Geraldo Alckmin firmou nesta segunda-feira, 23 de abril, decreto que desonera as operações internas de fabricantes e atacadistas de produtos de couro. A medida reduz a carga tributária do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para artigos de couro, sapatos, bolsas, cintos e acessórios fornecidos a contribuintes localizados no Estado.


"O Brasil não pode ser só exportador de produtos primários. Precisamos agregar valor. E no caso da indústria calçadista, é impressionante o que ela gera de emprego e contribui para a economia", declarou Alckmin sobre a medida.

O decreto do governo do Estado, assinado durante a visita do secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Paulo Alexandre Barbosa, e do governador Geraldo Alckmin ao município de Franca, amplia os benefícios concedidos ao setor. O governo estadual havia prorrogado, em março de 2011, a redução da base de cálculo do ICMS para os fabricantes de produtos de couro diminuindo o recolhimento do imposto de 18% para o correspondente a 12%. Com este novo decreto, a carga tributária do ICMS que incide sobre as operações internas das indústrias cai a níveis mais baixos e passará a ser de 7%.

A desoneração tributária vale também para as mercadorias produzidas sob encomenda nos casos em que o encomendante for o responsável pelo fornecimento dos insumos, seja detentor da marca sob a qual o produto será comercializado ou estiver credenciado junto à Secretaria da Fazenda nas demais hipóteses de terceirização parcial ou integral.

A desoneração foi estendida também aos atacadistas de produtos de couro, que contarão com redução de 18% para 12%. O benefício diminui o desembolso dos contribuintes que ganham folga de capital de giro nas operações com seus fornecedores paulistas.

"A desoneração é uma filosofia para que possamos estimular o comércio. O que se faz em São Paulo é de imensa responsabilidade. Por isso, essa filosofia de desoneração é um estímulo para que a economia continue crescendo", afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Paulo Alexandre Barbosa.

A ação visa equalizar as condições de competitividade das empresas paulistas diante da forte concorrência de benefícios semelhantes concedidos por outras unidades da federação e incrementar a economia do setor que detém alto potencial de geração de empregos.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo