carregando...

Notícias

Notícias

Software criado pelo IPT ganha Prêmio Arborido



24/09/2012

Sérgio Brazolin recebeu o Prêmio Arborito na categoria Pesquisa, Extensão e Tecnologia

Um software desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para auxiliar prefeituras, parques e condomínios no gerenciamento de suas árvores recebeu o Prêmio Arborito durante o XVI Congresso Brasileiro de Arborização Urbana, realizado entre os dias 1 e 7 de setembro na cidade mineira de Uberlândia. A ferramenta denominada Sistema de Gerenciamento de Árvores Urbanas (Sisgau) foi premiada na categoria Pesquisa, Extensão e Tecnologia, que reconhece estudos e desenvolvimentos tecnológicos (softwares, equipamentos e técnicas) importantes para a arboricultura.

O Sisgau é uma ferramenta para plataforma web que auxilia o processo de gestão da arborização por meio da construção de um registro das árvores, compilando informações relevantes à criação de estratégias para o manejo dos exemplares. A presença de fungos, cupins, brocas e formigas permite ser inventariada assim como defeitos internos e externos que possam interferir na estabilidade das árvores e trazer risco de queda.

Para acesso a consultas e inserção de dados no sistema, os usuários precisam apenas estar conectados à Internet e utilizar um navegador web. As informações podem ser repassadas a todos que utilizam o software e a visualização é feita de qualquer lugar, a qualquer hora. O sistema foi desenvolvido em 2004 por duas unidades do IPT, o Centro de Tecnologia de Recursos Florestais (CT-Floresta) e o Centro de Tecnologia da Informação, Automação e Mobilidade (CIAM), e está atualmente em uso pela Prefeitura de São Paulo no Programa Identidade Verde.

RECONHECIMENTO – O Prêmio Arborito é oferecido pela Sociedade Brasileira de Arborização Urbana (SBAU) e pela comissão de organização do congresso. A escolha do Sisgau foi feita pelos associados da sociedade e os critérios considerados foram a inovação e a criatividade, a abrangência do trabalho, os resultados obtidos, a interação com o público-alvo e a replicabilidade.

“O IPT é pioneiro no conhecimento de biomecânica e de novas tecnologias para diagnóstico e análise de risco de queda de árvores urbanas, como os tomógrafos para a execução de ensaios não-destrutivos em árvores. Este prêmio coroa o esforço de um trabalho multidisciplinar feito por dois centros do Instituto”, afirma Sérgio Brazolin, responsável pelo Laboratório de Preservação de Madeiras e Biodeterioração de Materiais do IPT. A participação do Instituto no congresso incluiu também um minicurso teórico e prático sobre análise de risco de queda de árvore, ministrado pelo pesquisador.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo