carregando...

Notícias

Notícias

Seminário discute ferrovias paulistas



26/11/2008

Em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) realizou nesta quarta-feira, 26 de novembro, o 6º Seminário Sobre Ferrovias: Implantação e Reativação de Ramais Ferroviários no Estado de São Paulo. O objetivo do evento é a discussão permanente sobre o incremento desse modal de transporte, fator considerado indispensável para a competitividade da economia brasileira.


O secretário dos Transportes do Estado de São Paulo, Mauro Arce, destacou a necessidade de descentralização da matriz de transportes. Para ele, a redução da proporção de cargas transportadas pelo modal rodoviário de 93% em 2000 para 88% em 2007 é um dado a ser comemorado, mas ainda há muito a ser feito. "É preciso disponibilizar os modais mais adequados para cada tipo de carga", afirmou. Ele também lembrou que outros projetos estão sendo desenvolvidos pelo Governo do Estado, como a Rede Paulista de Dutos, coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento.

Para o deputado estadual João Caramez (PSDB), a importância de revitalizar os investimen- tos em ferrovias vai além dos benefícios econômicos. "É um meio de transporte menos poluente, e esse é um fator que deve ser levado em consideração", disse o deputado, que afirmou também ser defensor de novos investimentos na Hidrovia Tietê-Paraná.

O secretário-adjunto de Desenvolvimento, Luciano de Almeida, apresentou a visão estadual sobre estratégias para o transporte ferroviário. Segundo ele, a crise mundial em curso muda as perspectivas sobre esses tipos de investimentos. "Projetos que há três meses eram fundamentais para evitar gargalos, hoje correm o risco de, caso implantados, não tenham demanda", ponderou. Por isso, para ele, é importante que sejam eleitos os projetos prioritários para o setor.

Luciano de Almeida também convocou os participantes do seminário a darem uma sinalização clara ao Governo do Estado quanto ao projeto do Ferroanel. Há divergências sobre se a prioridade é construir o Tramo Sul ou o chamado Mergulhão. "Nem mesmo dentro do Governo do Estado existe consenso nessa questão, portanto é muito importante que os especialistas aqui presentes tenham uma posição para nos ajudar a tomar a decisão mais acertada", completou.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo