carregando...

VÍDEOS

ÓRGÃOS VINCULADOS

Notícias

Notícias

Secretário Rodrigo Garcia participa da abertura da II Expocietec



30/10/2013

O secretário de Desenvolvimento, Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado, Rodrigo Garcia participou nesta quarta-feira, (30/10), da abertura da II Expocietec - Exposição e Conferência de Inovação e Empreendedorismo de Base Tecnológica do Estado de SP, que acontece entre os dias 30 e 31 de outubro, na sede da FecomercioSP, na capital. Durante a cerimônia foram debatidas questões relacionadas à inovação e empreendedorismo.

Na ocasião, Rodrigo Garcia destacou o mapeamento de incubadoras de base tecnológica da SDECT e a instalação do Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia (Concite). “O Governo do Estado avança na promoção de inovação e no empreendedorismo. De acordo com o nosso estudo realiazado pela USP foram detectadas  34 incubadoras de empresas de Base Tecnológicas. Esse levantamentopermitirá a sugestão de propostas para a sustentabilidade das iniciativas paulistas”, destaca.

De acordo com o secretário, o Concite será instalado no mês de novembro e contará com a participação das universidades estaduais paulistas, institutos, Fapesp e por representantes do setor produtivo. “Por meio dele será elaborado e aprovado um  grande plano estadual de ciência e tecnologia que norteará eixos estratégicos para o investimento de recursos públicos em pesquisas”, completa.

Também participaram da cerimônia de abertura, o presidente do Conselho de Pequena Empresa da Fecomércio, Paulo Feldmann, o presidente da Cietec, Plínio Assmann, a vice coordenadora da Agência USP de Inovação, Luciane Ortega, o superintendente do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), José Carlos Bressiani, o subsecretário de Ciência e Tecnologia, Marcos Cintra, o diretor-presidente da Desenvolve SP, Milton Luiz de Melo Santos, secretário-executivo do Conselho Deliberativo do Sebrae-SP, Tirso de Sales Meirelles, o presidente da Comissão de Atividades Econômicas da Alesp, Itamar Borges, a representante da Amprotec, Sheila Pires e o superintendente da Financiadora de Estudos e Projetos- Finep, Hudson Lima Mendonça.
 
Sobre o mapeamento das incubadoras paulistas
Realizado em seis meses, o mapeamento foi preparado pela Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (FUSP) e pela equipe da Faculdade de Economia e Administração (FEA) da USP. A SDECT investiu R$ 300 mil no projeto.

O relatório identificou 34 incubadoras de base tecnológica paulistas, responsáveis por abrigar 461 empresas, somando 525 módulos. Os empreendimentos possuem 33.000 m2 de área construída, dos quais 27.090 m2 são destinados aos módulos. A localização revela que 57,6% está situada a menos de 160 Km da capital, estando presente em 12 das 15 regiões administrativas do Estado.

Em média, as iniciativas possuem 17 empresas incubadas, com exceção do Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia (Cietec), que exibe números maiores. A auto-sustentabilidade foi o maior desafio identificado no estudo. Órgão vinculado à Pasta, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) destacou-se como principal fonte de recurso de apoio à inovação, sendo acessada por cerca de 30% dos empreendedores.

O levantamento apresentou as principais características dos empreendimentos, como o financiamento de suas operações, o grau de maturidade e sua capacidade de produzir inovação. Entre os dados avaliados estão o número de empresas graduadas, o segmento de atuação, o faturamento, o índice de sobrevivência, o número de empregos criados e o valor dos impostos gerados. A metodologia envolveu entrevistas com os gestores de incubadoras, além de questionários para os empreendedores.

A partir dos resultados, a SDECT irá propor políticas para o setor. “O diagnóstico serviu para conhecermos a realidade do empreendedorismo inovador em nosso Estado e nos ajudará a planejar ações para que o setor cresça cada vez mais”, explica Marcos Cintra, subsecretário de Ciência e Tecnologia.

Confira alguns dados da pesquisa (as respostas do Cietec foram tratadas à parte, devido à complexidade da instituição, que conta com 121 associadas)
·         86,5% dos sócios entrevistados têm ensino superior
·         26,8% são doutores ou pós-doutores;
·         29,3% dos sócios são oriundos da área de ciências exatas
·         36,2% são da área de engenharia
·         41% têm 10 ou mais anos de experiência
·         91,9% tiveram faturamento em 2012 de micro-empresa
·         70,3% não atingiram a fase do equilíbrio financeiro;
·         59,5% reconhecem que o relacionamento da incubadora com atores externos traz benefícios às empresas
 
No Cietec
 
89,3% dos sócios entrevistados têm ensino superior
22,6% são doutores ou pós-doutores;
27,7% dos sócios são oriundos da área de ciências exatas
39,8% são da área de engenharia
67,1% têm 10 ou mais anos de experiência
88% tiveram faturamento em 2012 de micro-empresa
65% não atingiram a fase do equilíbrio financeiro;
63% reconhecem que o relacionamento da incubadora com atores externos traz benefícios às empresas 

Sobre a RPITec
A Rede Paulista de Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica (RPITec) tem o objetivo de fomentar a implantação das Incubadoras de Base Tecnológica. A ação promove nas empresas associadas o empreendedorismo, a integração, o desenvolvimento de metodologias de monitoramento, o apoio à aplicação de capital e a captação de recursos.
Para fazer parte da RPITec, a entidade gestora da incubadora deve enviar um requerimento à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, solicitando sua inclusão na rede. No pedido, entre outros pontos, deve ser demonstrada que a entidade gestora, sem fins lucrativos, atende aos requisitos do decreto, com modelo de gestão apropriado e objetivos compatíveis com a RPITec. O credenciamento é realizado por meio de uma resolução válida por dois anos.

Clique aqui e confira mais fotos do evento.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo