carregando...

Notícias

Notícias

Secretário participa de assinatura de convênio para o Parque Tecnológico de Botucatu



03/06/2014

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDECTI),  Nelson Baeta Neves, e o prefeito de Botucatu, João Cury Neto,  assinaram nesta terça-feira (03/06), na sede da Pasta, um convênio para a transferência de recursos ao Parque Tecnológico do município. Também participaram do encontro o deputado federal, Rodrigo Garcia, técnicos da SDECTI e outros representantes da cidade.

O documento assinado prevê o repasse de R$ 863.977,21 para a aquisição de móveis e equipamentos voltados ao prédio administrativo do Parque. A  vigência  do convênio será de quatro meses. De acordo com João Cury, esses investimentos são necessários para finalizar o núcleo, que deverá ser entregue ainda este mês. “O parque de Botucatu é um projeto transformador. Passamos por muitas etapas para a concretização do empreendimento. Contamos muito com a apoio da Secretaria e dos técnicos da Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Inovação. O atendimento deles foi determinante para o processo”, completa.
Durante a reunião, o secretarário Baeta ressaltou a importância  de recursos para as ações voltadas à inovação. “Na atual gestão priorizamos as iniciativas que contribuem para o desenvolvimento científico e  tecnológico. Os parques são importantes agentes para a transformação regional, além de gerar conhecimento e renda”, conclui. 

O deputado federal Rodrigo Garcia explicou que além dos investimentos em parques, centros de inovação e incubadoras de base tecnológica,  o Governo do Estado de São Paulo reformulou em 2013, o Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia – Concite. “O Conselho traça um plano de ação estratégico, com metas, prioridades e indicadores de desempenho, com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico e científico do Estado nos próximos 20 anos”, completou.
Parque Tecnológico de Botucatu
 
O parque tecnológico está implantado na Rodovia Gastão Dal Farra, em duas áreas que somam 286 mil m². As vocações do empreendimento são direcionadas à inovação tecnológica em bioprocessos, medicamentos, insumos médicos-hospitalares, produtos veterinários e setor agrário. O parque está credenciado no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPtec).

Potencialidades

Botucatu possui um forte potencial na área de ciência e pesquisa biológica, pois conta com cinco unidades da Unesp: Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), Hospital das Clínicas de Botucatu, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) e Instituto de Biociências (IB), além de uma Escola Técnica (Etec) e uma Fatec do Centro Paula Souza. A cidade também conta com uma incubadora de base tecnológica, que em  2005, recebeu o Prêmio Incubadora do Ano, considerada o melhor Programa de Incubação de Empreendimentos Inovadores Orientados para o Desenvolvimento Local e Setorial do País, pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec). O local atendeu nos últimos anos 46 projetos.
 
Sobre o Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec)
 
Criado em 2006, o SPTec oferece apoio e suporte aos parques tecnológicos, com o objetivo de atrair investimentos e gerar novas empresas intensivas em conhecimento ou de base tecnológica, que promovam o desenvolvimento econômico, científico e sustentável do Estado. No Estado de São Paulo, existem 28 iniciativas para implantação desses empreendimentos.
 
Incentivos estaduais
 
As empresas que se instalarem em parques tecnológicos do SPTec, que possuem credenciamento definitivo, poderão participar do programa estadual de incentivos fiscais, chamado Pró-Parques. Instituições de apoio e empresas de base tecnológica poderão utilizar créditos acumulados de ICMS ou diferir o imposto para pagamento de bens e mercadorias a serem utilizados na realização de investimentos e no pagamento de ICMS relativo à importação de bens destinados ao ativo imobilizado.
 
Como fazer parte do SPTec
 
 
Para fazer parte do SPTec, a prefeitura ou a entidade gestora do parque tecnológico deve encaminhar um ofício à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDECTI) e solicitar sua inclusão no sistema. Após a aprovação dos documentos, o credenciamento é efetuado por meio de uma resolução válida por dois anos. Para a obtenção do credenciamento provisório no sistema, o interessado deve enviar à SDECTI: comprovação de propriedade de uma área de no mínimo 200 mil m²; documento manifestando o apoio à implantação do parque subscrito por empresas locais, bem como centros e instituições de ensino e pesquisa; apresentação de projeto básico do empreendimento, contendo o esboço do projeto urbanístico e estudos prévios de viabilidade econômica, financeira e técnico-científica e a apresentação de requerimento por parte da pessoa jurídica justificando o pleito.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo