carregando...

Notícias

Notícias

São Paulo pode ser maior produtor de pescado do Brasil



23/03/2015

Fonte: Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação
 

Governador convocou secretarias de Estado do Meio Ambiente, Agricultura, Desenvolvimento, Instituto de Pesca, Cetesb e Procuradoria Geral do Estado para reunião (Divulgação)O Estado de São Paulo pode tornar o Brasil autossuficiente na produção de pescados com a autorização de pedidos de aquicultores paulistas já protocolados no Ministério da Pesca para fornecer 400 mil toneladas/ano de peixes ao mercado consumidor, a mesma quantidade que o País importa anualmente. Para tanto, os setores envolvidos no licenciamento da atividade no Estado vão se reunir, em data ainda a ser definida pelo governador Geraldo Alckmin, para avaliar as solicitações. A decisão do governador em tratar do tema foi tomada nesta segunda-feira (23/3) após reunião com o ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, em atendimento a uma solicitação do vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Márcio França.O governador convocou as secretarias de Estado do Meio Ambiente, Agricultura, Desenvolvimento, Instituto de Pesca, Cetesb e a Procuradoria Geral do Estado (PGE) para uma reunião da qual ele também participará por entender que a liberação dos pedidos dos criadores de peixes pode gerar um grande aumento na produção de alimentos a baixo custo. A data deve ser definida em breve. O ministro Helder Barbalho disse que o início do cultivo em São Paulo depende da decisão dos órgãos estaduais.

Barbalho informou ao governador que as autorizações vão gerar, além do aumento expressivo do pescado para o mercado consumidor, um crescimento na receita de ICMS da ordem de 7%, o que representará R$ 224 milhões a mais nos cofres do Estado. O ministro acrescentou que serão criados 7.080 empregos diretos a 28.320 indiretos. ”São Paulo será o maior produtor de peixes na forma de cultivo no Brasil, com reflexos no preço e na saúde da população, por se tratar de alimento de qualidade”.

A criação de peixes no mundo movimenta 600 milhões de dólares ao ano. O pescado movimenta recursos sete vezes mais que a carne de gado e nove vezes mais que de frango. 

No Brasil, a pesca extrativista tem previsão de crescimento dos atuais 765 mil toneladas/ano para 1 milhão de t/ano em cinco anos. Já a pesca em cultivo deve saltar, nos mesmos cinco anos, de 480 mil para 2 milhões de toneladas/ano no Brasil.

O brasileiro consome 9,5 Kg por ano de peixes contra 35 Kg de carne de gado; 15 kg/ano de suínos e 45 kg/ano de frango. A meta é fazer o brasileiro, em cinco anos, passar a consumir 18 Kg de pescado/ano. Para tanto, o Estado de São Paulo tem que aproveitar, também, duas áreas de maior potencial para o setor: o Vale do Ribeira e o Pontal do Paranapanema.

Novo crédito - Os produtores vão contar, a partir de junho, com o financiamento chamado Plano Safra, que vai disponibilizar R$ 2 bilhões para a aquicultura, informou o ministro Helder Barbalho ao governador e ao vice. Márcio França acredita que a atividade vai reduzir as diferenças sociais e de desenvolvimento entre regiões mais carentes e o restante do Estado: “O Vale do Ribeira vai sair ganhando com o aumento da produção de peixes, pois tem a maior área natural para este setor que gera emprego e riqueza sem afetar o meio ambiente”, concluiu o vice-governador.                      

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo