carregando...

Notícias

Notícias

São Paulo assina convênio com Costa Rica



09/01/2009

O vice-governador e secretário de Desenvolvimento de São Paulo, Alberto Goldman, assinou nesta sexta-feira, 9 de janeiro, em viagem à Costa Rica, um convênio de cooperação internacional entre a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) e o Instituto Costarricense de Acueductos y Alcantarillados (AYA). O acordo permite à Sabesp transferir conhecimento técnico para a empresa da Costa Rica nas áreas comercial, jurídica e administrativa e também realizar intercâmbio de modelos de gestão. O acordo, que tem duração de cinco anos, é o primeiro da empresa no exterior após a entrada em vigor das leis estaduais 12.292/2006 e 1.025/2007, que permitiram à Sabesp atuar também em âmbito nacional e internacional.

A prioridade do convênio será a transferência de tecnologia para a implementação de programas de combate a perdas de água, bem como para prestação de consultoria na construção, operação e financiamento de instalações de produção e distribuição de água potável e de coleta, tratamento e disposição final de esgoto. Por ser a Costa Rica um ponto turístico importante na região, o tratamento do esgoto é tido como essencial no país caribenho, cujos números na área são ainda irrisórios.

"O acordo abre a possibilidade de ampliar uma relação com os demais países da América Central, inclusive incentivando a presença de empresas privadas brasileiras na execução de obras que serão feitas nesses países", afirma Alberto Goldman. E acrescenta: "no caso específico da Costa Rica, os investimentos em saneamento virão de recursos do BID e JBIC, fundamentais para o crescimento do turismo, principal fonte de recursos do país."

O termo é resultado de uma visita de representantes da AYA à Sabesp em outubro passado, que teve como objetivo conhecer a estrutura da empresa. A concessionária paulista coleta 79% e trata 72% do seu esgoto, sendo referência nacional. Em 2008, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), apenas 49% das residências no País tiveram seus dejetos coletados. Quanto às perdas d’água, os esforços da companhia em relação ao tema e as tecnologias desenvolvidas também chamaram a atenção da missão costarriquenha.

Os trabalhos serão desenvolvidos por meio do concurso de equipes técnicas de diversas naturezas das empresas cooperadas e com a utilização de recursos materiais e equipamentos. Também poderão ser realizados trabalhos em conjunto com outros órgãos ou entidades públicas e privadas ou mediante contratação de empresas especializadas em saneamento básico e ambiental para realização de estudos, pesquisas, desenvolvimentos de tecnologias e capacitação de recursos humanos. A expectativa é a de que até março representantes da Sabesp visitem a Costa Rica para iniciar as discussões de prestação de serviço por parte da empresa no país.

Além do vice-governador, o termo do convênio foi assinado pelo presidente da Sabesp, Gesner Oliveira, pelo diretor de Tecnologia Empreendimentos e Meio Ambiente da companhia, Marcelo Salles Holanda de Freitas, e pelo presidente executivo do Instituto Costarricense de Acueductos y Alcantarillados, Ricardo Sancho Chavarría. Também participaram a secretária de Saneamento do Estado de São Paulo, Dilma Seli Pena, o Embaixador do Brasil na Costa Rica, Tadeo Valadares, o Ministro da Presidência da Costa Rica, Rodrigo Arias, e a Ministra da Saúde da Costa Rica, María Luisa Ávila.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo