carregando...

Notícias

Notícias

Rodadas de negócios marcam segundo dia da BINEV



02/12/2010

Prospecção de novos negócios e parcerias também é um dos objetivos da BINEV

A 1ª Bolsa Internacional de Negócios da Economia Verde – BINEV não discute apenas um novo modelo econômico, de baixo carbono. A prospecção de novos negócios e parcerias comerciais também é um dos objetivos do evento. Durante o segundo dia da BINEV, 64 empresas participaram da Bolsa de Negócios e fecharam acordos ou prospectaram novos negócios.

Uma das conferências realizadas nesse segundo dia da BINEV foi mediada pelo especialista em meio ambiente da Investe São Paulo, José Pedro Fittipaldi. “Foi um evento inovador. É fundamental alertar os empresários sobre um assunto de grande importância e que já é prioridade para o resto do mundo. É promissor para as empresas e para o país. Parabenizo a todos pela iniciativa, foi um sucesso”, afirmou. A Bolsa de Negócios é uma área na qual os participantes podem apresentar projetos para pesquisadores, investidores, empreendedores, empresários e bancos de fomento, nacionais e internacionais. "Aqui, empresários deram inicio a novos projetos e até mesmo fecharam acordos comerciais. Outros marcaram visitas a empresas e deixaram um canal aberto para novas conversas", explicou o secretário-adjunto de Estado do Meio Ambiente, Casemiro Tércio Carvalho.

Confira os destaques de cada painel:

Agricultura e Florestas
O ex-secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Xico Graziano, foi moderador do debate Agricultura e Florestas. Ele destacou a importância da criação do Pagamento por Serviços Ambientais – PSA, que começou com programas pilotos em algumas cidades do Estado e está ajudando os pequenos agricultores a proteger suas nascentes e matas ciliares.

O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado, João de Almeida Sampaio, falou sobre a biomassa, com destaque para o etanol. "Hoje essas fontes superam a geração de energia elétrica no Estado, só perdendo para o petróleo. Com os avanços tecnológicos e a mudança para essa cultura da economia verde, em breve, alcançaremos o primeiro lugar", afirmou.

O governo paulista reduziu a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS e criou o Protocolo Agroambiental, com o objetivo de fortalecer a competitividade do etanol, uma energia renovável, com as energias fósseis como a gasolina e o diesel.

Tecnologias Verdes
O diretor do programa europeu do Climate Group, o inglês Luc Bas, avaliou que são as tecnologias verdes que tornarão as mudanças climáticas mais visíveis e nos ajudarão a monitorar nossos impactos ambientais e as nossas emissões. "Esta é a hora de lutar por uma revolução industrial limpa e lançar novas tendências e idéias para o desenvolvimento sustentável", afirmou. O sócio diretor da CometasBr, empresa de filtração eficiente, Jan Paul Sorensen, contou que a Dinamarca dobrou, nos últimos 10 anos, seu Produto Interno Bruto – PIB sem aumentar as emissões de carbono. "Provando que é possível fortalecer a economia sem prejudicar o meio ambiente”, citou.

Ele também apresentou alguns programas de sucesso na área de transporte sustentável. "Em Copenhague, 54% dos trajetos feitos nas vias urbanas são por meio de bicicleta. São políticas públicas eficientes de educação ambiental que são implantadas na população já na infância, quando as crianças ganham carteiras de habilitação para andar de bicicletas e aprendem sobre a vantagem ambiental de usar esse transporte”, expôs.

Ricardo Valente, diretor presidente da Tecori, apresentou um projeto de sucesso de descontaminação e reciclagem de transformadores elétricos. "Um transformador é composto de 33% de óleo, e o restante de materiais metálicos. Esse óleo é o PCB, que tem densidade mais alta que a água, logo, em contato, pode gerar contaminação em áreas saturadas e de mananciais. É um resíduo tóxico e provavelmente cancerígeno. São Paulo saiu na frente com uma lei que dispõe sobre a eliminação desse óleo até 2020, aplicando multas e regulamentações. A descontaminação do óleo em transformadores elétricos é um processo limpo, sem geração de resíduos e totalmente automatizado", explicou.

Transportes Sustentáveis
Murat Mirata, pesquisador associado do Internacional Institute for Industrial Environmental Economics – IIEE, disse que o problema global atual é o fluxo de demandas industriais e o consumo excessivo, que acabam por produzir e despejar resíduos em altas quantidades. “É preciso entender o ciclo de vida de um produto para otimizar as alternativas que o adaptarão para prejudicar menos expressivamente o ambiente”, concluiu.

Programação
Nos próximos dois dias de evento haverá palestras, mostras de tecnologias, casos de sucesso e bolsa de negócios sobre os temas: construção civil sustentável, energias renováveis, indicadores para economia verde, instrumentos econômicos, saneamento ambiental e turismo.

O evento contará com mais de 100 palestrantes. Entre eles, Scott Thompson, ministro adjunto da Divisão de Políticas Legislativas e Planejamento do Ministério dos Transportes de Ontário; Mark Lundell, do Banco Mundial e Hervé Martin, chefe da LIFE – Ambiente e Eco-inovação da direção geral de ambiente da Comissão Européia

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo