carregando...

Notícias

Notícias

Projeto de água para reúso



15/01/2008

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e as empresas do Pólo Petroquímico de Capuava, representadas pela Petroquímica União (PQU), assinaram nesta terça-feira, 15, na Petroquímica União (PQU), em Santo André, um protocolo de intenções para o suprimento das indústrias da região com água de reúso. “Água é tão importante quanto energia elétrica, estrada e infra-estrutura. Sem água de uso industrial não há possibilidade de avançar”, disse secretário estadual de Desenvolvimento e vice-governador Alberto Goldman, que representou o governador José Serra na solenidade. O secretário adjunto de Saneamento e Energia, Ricardo Toledo, representou a secretária Dilma Pena.

Para o vice-governador, o aproveitamento industrial da água de reúso “é um passo muito importante, o início de uma nova jornada” para São Paulo. O esgoto, que é considerado um problema, pode virar solução. “É possível resolver os problemas desde que haja vontade política para resolver”, disse, observando que isso não falta ao governo Serra e aos prefeitos paulistas.

O Projeto Aquapolo Ambiental, que será o maior do país no gênero, prevê o fornecimento de água da Estação de Tratamento de Esgotos da Sabesp no ABC (ETE ABC) para as empresas do complexo, localizado entre os municípios de Santo André e Mauá. Parte do esgoto tratado pela Sabesp na ETE-ABC será transportada por um duto de aço carbono de 16,5 km até o Pólo Petroquímico do Grande ABC para uso nos processos fabris.

A maior parte do investimento de R$ 130 milhões será feita por um consórcio de dez empresas do Pólo, lideradas pela PQU. Inicialmente serão fornecidos 600 litros de água por segundo (consumo de uma cidade como Jundiaí), com possibilidade de chegar a 1.000 l/s.

Além da PQU, que é a principal consumidora, participam do projeto: Cabot, Air Liquide, Oxiteno, Polibutenos, Polietilenos União, Recap, Nova Petroquímica (antiga Suzano), Unipar Divisão Química e White Martins.

O diretor-superintendente da Petroquímica União (PQU), Rubens Approbato Machado Jr., afirmou que “água é um assunto estratégico que tem desafiado o Pólo petroquímico desde 1994”. O protocolo assinado hoje com a Sabesp constitui “um passo importante para a solução definitiva da questão da água para o pólo.”

O presidente da Sabesp, Gesner Oliveira, disse que a empresa deve ser um agente ambiental e trabalha de uma forma muito firme na sustentabilidade. “Outra dimensão do trabalho da Sabesp, além do ambiental, é como agente de desenvolvimento”, lembrou. O Aquapolo permitirá a criação de 14 mil novos empregos e o aumento da produção do pólo. Gesner lembrou que a água de reúso faz parte de um projeto mais amplo da empresa, de uma plataforma de produtos e serviços buscando soluções ambientais. “A proteção do meio ambiente é a razão de ser da Sabesp”, disse. O prefeito de Santo André, João Avamileno, observou que a água de reúso é uma alternativa tanto do ponto de vista industrial quanto ecológico.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo