carregando...

Notícias

Notícias

Programa forma turmas de Santos e São Vicente



04/05/2012

Secretário parabeniza os 80 formandos dos cursos do Via Rápida na Baixada Santista (Ruy Jobim Neto/SDECT)

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado, Paulo Alexandre Barbosa, participou nesta sexta-feira, 4 de maio, em Santos, da cerimônia de formatura de 80 alunos dos cursos de qualificação do Via Rápida Emprego. Realizado no Clube Esportivo Juventude Nova Cintra, o evento reuniu as turmas dos cursos das carretas de Soldagem (Santos) e de Confecção Industrial (São Vicente). As capacitações do programa são voltadas para as necessidades locais. Assim, o cidadão pode se qualificar e conseguir com mais facilidade um emprego próximo ao local onde mora.


Durante o evento, o secretário destacou a importância da qualificação para os moradores da Baixada Santista, especialmente nos setores ligados à construção civil e ao pré-sal. “Vivemos em um mundo em que o conhecimento é ferramenta indispensável. É preciso estar qualificado para o mercado de trabalho. Por isso, o esforço do Governo do Estado em preparar e capacitar as pessoas, para ampliar as oportunidades dos moradores, estimulando o desenvolvimento da região.”

Sobre o programa
Lançado em 14 de julho de 2011, o Via Rápida Emprego é um programa do Governo do Estado que oferece capacitação profissional gratuita para os cidadãos que buscam ingressar no mercado de trabalho ou abrir seu próprio negócio. Em 2011, o programa disponibilizou 33 mil vagas em mais de 400 municípios.

Os cursos têm duração máxima de até três meses, com aulas ministradas em Escolas Técnicas (Etecs), Faculdades de Tecnologia (Fatecs) do Estado de SP, em unidades do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), do Senac São Paulo (Atendimento Corporativo), do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat) ou em outras instituições contratadas pela SDECT.

As inscrições são realizadas pelo site www.viarapida.sp.gov.br. Os participantes selecionados recebem material didático e subsídio de transporte no valor de R$ 120. Desempregados, sem seguro desemprego ou benefício previdenciário, também têm direito à bolsa-auxílio mensal de R$ 210. A seleção é feita pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, que analisa critérios de idade, escolaridade e renda familiar. Quem está desempregado ou é arrimo de família, tem prioridade. Os selecionados são informados por carta oficial.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo