carregando...

Notícias

Notícias

Parque da Juventude ganha biblioteca pública do futuro



08/02/2010

Biblioteca foi inaugurada pelo governador José Serra no Parque da Juventude

A zona norte da capital conta a partir de agora com um novo e diferenciado espaço cultural: a Biblioteca de São Paulo. O espaço foi inaugurado nesta segunda-feira, 8 de fevereiro, pelo governador José Serra, em uma área de 4.257 m², no Parque da Juventude. A biblioteca pública está instalada no mesmo complexo que abriga duas Escolas Técnicas (Etecs) estaduais do Centro Paula Souza: a Etec Parque da Juventude e a Etec de Artes, implantadas em 2007 e 2008, respectivamente. Juntas, as duas unidades, que integram o Plano de Expansão da Educação Profissional, uma das prioridades do Governo do Estado, contam com mais de 1.600 alunos matriculados.

O local oferece amplo horário de funcionamento, fácil acesso pelo Metrô Carandiru, CDs, DVDs, jogos e 30 mil livros no acervo. Além disso, a Biblioteca de São Paulo será um centro de formação permanente para atualização e qualificação de profissionais da área. "Inauguramos hoje uma grande biblioteca. Grande pelo volume de livros, pela acessibilidade e pelas inovações que contém", disse Serra.

Inspirada nos serviços e programas da Biblioteca Pública de Santiago, no Chile, a Biblioteca de São Paulo possui cinco áreas de atividades, divididas por faixas etárias. No local, os últimos lançamentos do mercado editorial dividem espaço com periódicos, computadores com acesso à internet e recursos multimídia.

No novo espaço, os usuários têm à disposição um auditório, área para exposições temporárias e permanentes, atividades de incentivo à leitura e um café. Pessoas com deficiência têm acesso integral a todos os ambientes.

Inicialmente, acervo será composto por 30 mil títulos e 100 computadores

"Em matéria de acessibilidade para pessoas que tenham deficiência física, seja visual, motora ou auditiva, é uma biblioteca super avançada; talvez poucas bibliotecas no mundo tenham este nível de acessibilidade", ressaltou o governador.

O horário de funcionamento também é um diferencial: de terça a sexta-feira, das 9h às 21h, e aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 19h. "É fundamental garantir o acesso da população e, pensando nisso, a Biblioteca precisa estar de portas abertas de manhã até a noite. Queremos que a Biblioteca integre o cotidiano da cidade", explica a assessora de gabinete da Secretaria e idealizadora do novo espaço, Adriana Ferrari.

"Os livros estão ao lado de CDs, DVDs, jornais e revistas. É um espaço dinâmico, onde os livros não ficarão esquecidos nas estantes", afirma o Secretário da Cultura, João Sayad. "Queremos que fique parecida com as grandes livrarias, que hoje recebem muito mais leitores do que as bibliotecas".

Por dentro da Biblioteca de São Paulo:

  • Térreo

    Recepção
    No hall de entrada, está instalada a recepção da Biblioteca de São Paulo, onde o usuário pode se informar sobre o empréstimo dos materiais e identificar os serviços oferecidos. Estarão também disponíveis um guarda-volumes e o terminal de "auto-atendimento", no qual os usuários podem retirar e devolver os livros sem precisar de intermediários. Para utilizá-lo, os frequentadores devem fazer um cadastro prévio e os livros, que terão uma etiqueta inteligente, serão liberados para empréstimo. Trata-se de um sistema inovador e que existe em poucos empreendimentos na América Latina.

    Para crianças e jovens
    No pavimento térreo encontram-se duas áreas infantis destinadas às crianças de até três anos e outra para as de 4 a 11 anos. Nelas, há poltronas, pufes coloridos e mesas de leitura, onde pais ou responsáveis podem acompanhar as brincadeiras que envolvem a leitura.

    No acervo, livros de plástico, brinquedos educativos, fantoches, dinossauros de borracha, bonecos de pano, livros como Chapeuzinho Amarelo, de Chico Buarque, O Menino Maluquinho, de Ziraldo, e Onde Vivem os Monstros, de Maurice Sendak. Haverá também dois alfabetos em braile feitos de madeira.

    Junto a estas salas infantis, há o espaço infanto-juvenil, dedicado aos jovens de 12 a 17 anos. Nele, além de 30 computadores com acesso à internet, mesas, poltronas e pufes ocupam local próprio para leituras individuais e/ou em grupo de coleções como a da série Crepúsculo, de Stephenie Meyer, Harry Potter, de J. K. Rowling, e clássicos, em novas edições, como Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll.

    Em todas as áreas, haverá postos de atendimento com funcionários treinados para ajudar na escolha dos livros e orientar os usuários.

    Auditório e sala de treinamento
    O auditório, com capacidade para 106 pessoas, será utilizado para a realização de cursos regulares para capacitação dos profissionais das 941 bibliotecas públicas municipais integrantes do Sistema Estadual de Bibliotecas. Além disso, sediará workshops, encontros dinâmicos e estudos de comunidades, palestras e projeções de filmes.

    O local tem recursos para apresentações com conteúdo multimídia, som e tecnologia wireless para microfones e dados. Haverá ainda três telões externos para a projeção dos eventos.

    Café e Área Externa
    Na área externa, 12 mesas e 48 assentos ficarão dispostos próximos ao café, para um momento de leitura ao ar livre ou para assistir a alguma apresentação artística.

  • Primeiro Pavimento

    Área para adultos
    No primeiro pavimento da Biblioteca de São Paulo está a área destinada aos adultos, onde além das coleções de livros de autores consagrados como Clarice Lispector, Ferreira Gullar, João Ubaldo Ribeiro e dos contemporâneos, Milton Hatoum, Bernardo Carvalho e Marcelino Freire, estarão 40 computadores com acesso à internet, mesas de leitura e assentos. Clássicos estrangeiros também não foram esquecidos como Os Miseráveis, de Victor Hugo; Desonra, de J.M. Coetzee, entre outros. Nesta área há um espaço com material acessível apenas para maiores de 18 anos, no qual podem ser encontradas as revistas "Playboy" e "Trip", por exemplo, além de clássicos da literatura como Lolita, de Vladimir Nabokov, 120 Dias de Sodoma, do Marquês de Sade, e O Amante de Lady Chatterley, de D.H. Lawrence.

    Tecnologia
    Cerca de 100 computadores, equipados com fones de ouvido e telas widescreen, acesso à internet e recursos multimídia estão disponíveis para uso do público nas áreas para crianças de 4 a 11 anos, jovens de 12 a 17, e adultos. Para os usuários cadastrados na Biblioteca que queiram utilizar notebooks, uma rede wireless dá acesso aos sistemas e à internet.

    Também estarão disponíveis sete Kindles, pequeno aparelho desenvolvido nos Estados Unidos para a leitura de livros, jornais e outras mídias digitais.

    Acessibilidade
    Além de elevador para cadeirantes, a Biblioteca de São Paulo contará com seis mesas de leitura adaptáveis (duas no térreo e quatro no primeiro pavimento). Para deficientes visuais e/ou pessoas com baixa visão há leitores autônomos que reconhecem e leem o texto em poucos segundos, uma impressora que transforma obras literárias para o braile, ampliadores de letras e 10 computadores com softwares especiais de leitura e teclados ampliados com mouses especiais. No acervo também estão áudiolivros e algumas edições já em braile, como Contos de Fadas dos irmãos Grimm.

    No caso dos deficientes auditivos, funcionários capacitados para comunicar-se em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) também facilitarão o atendimento aos usuários.

    Acervo e empréstimo
    O acervo da Biblioteca de São Paulo será composto, inicialmente, de 30 mil títulos, quatro mil CDS e DVDs, mil áudiolivros, mil álbuns de histórias em quadrinhos, 50 títulos de gibis, 100 jogos eletrônicos, cerca de 20 jornais nacionais e internacionais e mais de 15 títulos de revistas variadas. Apesar do foco na literatura brasileira, internacional e latino-americana, nas prateleiras estarão também títulos sobre Filosofia, Religião, História, Geografia, Artes, Administração, Culinária, Turismo e Esportes, Autoajuda, entre outros, que podem ser emprestados aos usuários cadastrados por um período de até 15 dias. As pessoas com deficiência retiram até 10 livros e podem permanecer com eles durante 30 dias.

    Um dos diferenciais do novo espaço cultural é a rapidez com que os últimos lançamentos editoriais e os livros mais comentados pela população e imprensa chegarão às estantes. "O compromisso de manter o acervo da Biblioteca tão atualizado quanto o das livrarias, democratiza o acesso à informação daqueles que não podem adquirir seus livros. O incentivo à leitura se faz também com os títulos que estão em pauta, que são comentados pelas pessoas e pela mídia", afirma Adriana Cybele Ferrari.

    Sistema Estadual de Bibliotecas
    A Biblioteca de São Paulo passa, a partir de sua inauguração, a ser a sede do Sistema Estadual de Bibliotecas, criado em 1984, pelo Decreto n° 22.766. Incentivar a integração das 941 bibliotecas públicas do Estado de São Paulo, propiciar a expansão de atividades culturais, facilitar o acesso às informações e fomentar condições de atendimento adequado aos leitores são os objetivos do Sistema, que também irá desenvolver programas de assistência técnica às bibliotecas de todo o Estado.

    Investimento e Gestão
    Para a criação da Biblioteca de São Paulo foram investidos R$ 12,5 milhões (sendo R$ 10 milhões do Governo de São Paulo e R$ 2,5 do Ministério da Cultura, por meio do Programa Mais Cultura).

    A direção do novo espaço será da bibliotecária Magda Montenegro, que comandará 50 funcionários, dentre os quais uma assistente social e uma psicopedagoga, para oferecer atendimento completo a todos os públicos.

    Após a inauguração, a Biblioteca será administrada pela Poiesis, Organização Social de Cultura, em convênio com a Secretaria de Estado da Cultura, nos mesmos moldes que gere a Casa das Rosas e o Museu da Língua Portuguesa. Serão disponibilizados pelo Governo do Estado, anualmente à OS, R$ 4 milhões para gestão e R$ 1 milhão para acervo.

    Serviço
    Biblioteca de São Paulo
    Parque da Juventude - Av. Cruzeiro do Sul, 2.630 - Santana (zona norte da capital - Acesso pelo Metrô Carandiru)
    Terça a sexta, das 9h às 21h. Sábados, domingos e feriados, das 9h às 19h.
    Entrada gratuita

  • MAIS DESENVOLVIMENTO

    Governo do Estado de São Paulo
    Governo do Estado de São Paulo