carregando...

Notícias

Notícias

Orlândia terá novos cursos do Via Rápida Emprego



27/09/2011

Secretário Paulo Alexandre Barbosa recebe deputado e vice-prefeita de Orlândia

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Paulo Alexandre Barbosa, confirmou a disposição de implantar novos cursos do programa Via Rápida Emprego no município de Orlândia (região administrativa de Franca), a partir de 2012. O compromisso foi assumido em audiência realizada nesta segunda-feira (26) e que contou com a presença do deputado federal Dimas Ramalho (PPS) e da vice-prefeita de Orlândia, Flávia Mendes Gomes.

O secretário Paulo Alexandre explicou que existe a possibilidade de que esses novos cursos sejam implantados já no primeiro semestre de 2012. “Só depende dessas demandas chegarem até nós em tempo hábil para implantação”, explicou o secretário. Neste ano, Orlândia conta com dois cursos do Via Rápida: Assistente Contábil (30 vagas) e Recepção e Atendimento (30 vagas), cujas aulas tiveram início em 29/08.

Via Rápida Emprego oferece nova chance de inserção profissional

Lançado pelo governador Geraldo Alckmin, em julho de 2011, o programa oferece cursos básicos de qualificação profissional com o intuito de capacitar gratuitamente a população que está em busca de oportunidade de emprego. Coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, o programa oferece mais de 130 modalidades de cursos gratuitos, nas áreas da construção civil, comércio, serviços e indústria, com duração de 30 a 90 dias, dependendo da ocupação.

Neste 2° semestre de 2011, são oferecidas 30 mil vagas em mais de 400 municípios. As aulas são ministradas em Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) do Centro Paula Souza, em salas descentralizadas de escolas estaduais, unidades do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), da Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência (Avape) e da Associação de Deficientes Visuais (Adeva). A partir de 2012, o programa contará também com unidades fixas e carretas móveis equipadas com laboratórios.

Os alunos recebem material didático e subsídio de transporte no valor de R$ 120. Os desempregados, sem seguro-desemprego ou benefício previdenciário, também têm direito à bolsa-auxílio mensal de R$ 210 durante o curso, podendo receber o total de R$ 330. “O objetivo é oferecer a chamada porta de saída dos programas de transferência de renda, ou seja, a qualificação para as pessoas gerarem renda, entrarem no mercado de trabalho e conquistarem sua autonomia”, afirma o secretário.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo