carregando...

VÍDEOS

ÓRGÃOS VINCULADOS

Notícias

Notícias

IPT romperá corpos-de-prova de cimento



22/06/2009

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento, vai realizar, a partir de 2010, ensaios em uma série de corpos-de-prova de concreto com 50 anos de idade, que foi moldada para um estudo de longa duração, idealizado entre as décadas de 30 e 50 por pesquisadores do Instituto. O objetivo é acompanhar a evolução da resistência mecânica dos concretos preparados com cimento Portland produzido pelas primeiras fábricas do Brasil: Perus, Votoran, Itaú, Maringá e Santa Rita.

Os corpos-de-prova estão acondicionados durante essas décadas em câmara úmida à temperatura entre 20 e 28 graus Celsius e umidade acima de 95%. Estas condições são consideradas ideais para evolução de suas propriedades físico-mecânicas.

Os dados deverão comprovar ganho de resistência no tempo, o que ocorre em estruturas de concreto como a do Museu de Artes de São Paulo (Masp) e do Edifício Guinle - pioneiro em concreto armado no Brasil, onde o IPT teve a oportunidade de extrair corpos-de-prova para realizar ensaios.

Para os especialistas, 28 dias é o prazo adequado para cura, ou endurecimento, de um concreto, tanto num piso quanto numa viga que sustenta um edifício. Mas, na verdade, esse processo se estende por longos anos. A ruptura dos corpos-de-prova do IPT vem demonstrando que a reação química responsável pela cura do cimento, chamada hidratação, continua ocorrendo lentamente como é esperado pelos técnicos.

Segundo o pesquisador Valdecir Angelo Quarcioni, químico responsável pelo laboratório ligado ao Centro de Tecnologia de Obras de Infraestrutura do IPT, existe um material que atua como facilitador natural da hidratação do cimento - papel desempenhado pela cal.

Quarcioni estudou o assunto, que foi tema de sua tese de doutorado apresentada em 2008 ao Departamento de Engenharia Civil da Escola Politécnica da USP, sob o título "Influência da cal hidratada nas idades iniciais da hidratação do cimento Portland: estudo em pasta", que traz um subsídio relevante para a tecnologia de produção de materiais cimentícios, numa época em que se depara com uma demanda crescente de incorporação de materiais residuais ao cimento Portland, que deve ser durável e sustentável. Para saber mais acesse: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3146/tde-15092008-153909/

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo