carregando...

Notícias

Notícias

IPT investe R$ 1,4 milhão em laboratório de prótese



29/01/2010

IPT vai trabalhar com próteses internas metálicas de inox e titânio

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) está investindo R$ 1,4 milhão para ampliar a capacitação dos laboratórios que realizam testes de implantes ortopédicos. A partir de dezembro de 2010, quando o projeto estiver concluído, o IPT poderá contribuir para que os materiais de fabricação nacional e importados tenham mais confiabilidade, atendendo ao padrão de pelo menos 15 normas e métodos de ensaios da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT/ISO).

Pessoas que dependem de implantes poderão ganhar mais qualidade de vida a partir desse trabalho. Outro benefício é que as próteses ficarão mais acessíveis ao bolso do consumidor. Atualmente, o mercado de saúde privada dá preferência aos implantes importados, que são expressivamente mais caros. No escopo de materiais e soluções que serão trabalhados pelo IPT estão as próteses internas metálicas de inox e titânio. São implantes de quadril, joelho e coluna, entre outros, que compõem próteses totais ou parciais instaladas por meio de cirurgia.

Os recursos investidos destinam-se à readequação de infraestrutura laboratorial e envolvem a compra de novos equipamentos. Já foram adquiridos um espectrofotômetro de absorção atômica, para a análise química de materiais; um analisador de oxigênio e nitrogênio; e uma máquina de ensaios mecânicos estáticos e dinâmicos.

O projeto está sendo desenvolvido em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia, por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), e a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). Ele está vinculado à Rede Multicêntrica de Avaliação de Implantes Ortopédicos (Remato), criada pelos Ministério da Saúde e de Ciência Tecnologia . Essa rede abrange oito laboratórios de diversos institutos de tecnologia e universidades no país.

A ideia de trabalhar em rede possibilita que cada instituição desenvolva competências específicas, contribuindo para o aporte de qualidade nesse importante segmento de mercado. Com os laboratórios capacitados, as normas de referência para os implantes poderão se tornar compulsórias, disseminando altos padrões de confiabilidade e desempenho.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo