carregando...

Notícias

Notícias

IPT explica trabalhos no metrô



15/03/2007

Equipes técnicas do IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo - estão atuando em três frentes de trabalho na Linha 4 Amarela do Metrô na capital paulista. São elas:

Projeto A – Avaliação das causas do acidente

Entre as principais atividades previstas e realizadas pelo IPT, até este momento, estão:
· O IPT recebeu do Metrô e do Consórcio Via Amarela grande volume de documentos referentes a projetos básico e executivo, planilhas de instrumentação e gráficos, além de documentação técnica referente ao edital de licitação da obra, entre outros.
· Construção de um banco de dados digital com toda documentação recebida das partes envolvidas: Metrô, Via Amarela e Ministério Público.
· Iniciado o processo de entrevistas com moradores e outras pessoas portadoras de informações relevantes sobre o acidente.
· Execução preliminar do TLA - Time Line Analysis. Este método permite a enumeração dos eventos históricos relativos ao local da obra, considerando data e fonte. Hoje, o TLA possui em torno de 1.250 informações, número que poderá duplicar conforme os documentos sejam analisados.
· Análise preliminar de algumas instrumentações da cava (escavação), levantamento e localização dos instrumentos utilizados durante as escavações.
· Construção de modelo geológico-geotécnico digital em três dimensões, com dados dos projetos básico e executivo onde serão acrescentadas informações como: dados do mapeamento das frentes de escavações e perfurações para prospecção do túnel.
· Coleta de dados pluviométricos históricos e do período de execução da obra para compará-los com dados das instrumentações.
· Realizadas vistorias pelos técnicos e consultores do IPT no poço e no túnel do lado oposto ao do acidente, respeitando os limites de segurança dados pelas condições do terreno, para verificação dos vestígios de rochas e de materiais.

Algumas atividades ainda não estão sendo realizadas, pois dependem do término das obras de estabilização da cava, trabalho que continua sendo executado pelo Consórcio Via Amarela.

Projeto B – Avaliação de segurança das edificações

Até o dia 12 de março passado o IPT entregou ao Metrô 63 relatórios de vistoria, instrumentação e avaliação dos imóveis próximos à área acidentada da estação Pinheiros. O número saltou dos 54 inicialmente apontados pela Subprefeitura de Pinheiros para 63, devido a casos de mais de uma moradia num mesmo terreno e pedidos de vistoria feitos por moradores vizinhos às áreas inicialmente indicadas, preocupados com a situação de suas casas.

Das 63 edificações avaliadas, o IPT liberou 59 para serem reocupadas imediatamente pelos moradores. Serão instalados dispositivos de monitoramento contínuo da estabilidade estrutural em cada casa para garantir a segurança dos moradores quando da retomada dos trabalhos na área. A instrumentação permitirá observar eventuais movimentações do solo que possam interferir na segurança, acarretando danos nas edificações. Até o próximo dia 22 de março o IPT emitirá um relatório específico sobre a estabilidade do maciço (subsolo) na cava, atendendo a pedido da Subprefeitura de Pinheiros.

Projeto C – TAC - Termo de Ajustamento de Conduta firmado entre o Ministério Público, o Consórcio Via Amarela e o Metrô

O IPT analisa as condições de segurança nas 24 frentes de obras da Linha Amarela do Metrô – incluindo a Estação Pinheiros – a partir das informações sobre as condições de cada local apuradas, organizadas e sistematizadas pela empresa de engenharia contratada pelo Consórcio Via Amarela. Estas informações são entregues ao IPT na forma de laudos de verificação. No dia 7 de março o IPT recebeu os quatros primeiros laudos para análise e deverá emitir pareceres técnicos sobre eles até o dia 27 de março, como prevê o TAC. Até o momento, o IPT inspecionou 19 frentes de obras e no dia 19 de março deverá concluir inspeções nas seguintes frentes: Estação Higienópolis, Túnel de Acesso Higienópolis, Estacionamento de Trens do Metrô entre a Estação Paulista e a Estação Higienópolis e Estação Paulista.

Fonte: IPT – Assessoria de Comunicação-Imprensa

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo