carregando...

Notícias

Notícias

Ipen retoma envio de radiofármaco



09/06/2009

O Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), autarquia estadual vinculada à Secretaria de Desenvolvimento e gerenciada técnica, administrativa e financeiramente pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) do Ministério de Ciência e Tecnologia, enviou no último sábado, 6 de junho, aos serviços de medicina nuclear do país, geradores de tecnécio-99m, radiofármaco utilizado em mais de 80% dos exames diagnósticos de medicina nuclear, nas áreas de cardiologia e oncologia.

Trata-se do primeiro envio do produto após o início da crise mundial deflagrada pela interrupção do fornecimento da matéria-prima necessária à fabricação dos geradores de tecnécio-99m, ocasionada pela parada do reator canadense que atende de 30 a 40% da demanda mundial do produto. O último envio ocorreu no dia 22 de maio.

Os geradores que serão enviados foram produzidos a partir de molibdênio-99 proveniente da Argentina e atenderão 30% da demanda das clínicas e hospitais no país que realizam exames utilizando o gerador de tecnécio-99m. As instituições médicas já foram comunicadas, para melhor programarem o agendamento dos pacientes. A aquisição da matéria-prima daquele país - que apenas fabrica o molibdênio-99 para seu mercado interno - ocorreu em tempo recorde.

“É importante ressaltar que a colaboração argentina está sendo fundamental neste momento de crise. Não estamos medindo esforços para minimizar os transtornos e dificuldades para os pacientes”, destaca Nilson Dias Vieira Júnior, superintendente do Ipen.

Na próxima semana, o Ipen vai receber da MDS-Nordion quantidade de molibdênio-99 suficiente para atender 30% dos pedidos semanais. Somado ao molibdênio-99 que será recebido da Argentina, mais de 60% da demanda de geradores de tecnécio-99m será atendida na próxima semana. Adicionalmente, a MDS-Nordion enviará tálio-201, que pode substituir o tecnécio, em alguns casos, na área de cardiologia. Após o processamento do tálio-201 no Centro de Radiofarmácia do Ipen, o produto será levado a clínicas e hospitais.

Na semana seguinte, um dos aceleradores cíclotron do instituto será utilizado em tempo parcial para a produção de tálio-201, reforçando assim as medidas emergenciais para o período em que o reator canadense permanece desligado, por problemas técnicos. Estima-se em três meses o tempo para que a instalação volte à operação normal.

Vale destacar que os profissionais de radiofarmácia iniciam as atividades de produção dos geradores na noite de 5/06, seguindo pela madrugada e retomando na manhã de sábado, dia 6/06, o trabalho. Os geradores serão transportados às clínicas e hospitais neste mesmo dia. Toda a equipe de apoio necessária à distribuição do produto está mobilizada para fazer o trabalho mais ágil e com a qualidade que acompanha esses 50 anos de parceria do Ipen com a comunidade de medicina nuclear no país.

“Estamos plenamente comprometidos em fazer o melhor, trabalhando dia e noite com toda a qualidade técnica necessária para atender a demanda médica brasileira”, atesta o diretor de Radiofarmácia do Ipen, Jair Mengatti.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo