carregando...

Notícias

Notícias

Investe SP recebe ministro da Nova Zelândia



28/10/2010

Ministro neozelandês demonstrou interesse em parcerias na área de tecnologia agrícola

O secretário-adjunto de Desenvolvimento, João Carlos Maranha, e o presidente da Investe São Paulo, Mario Mugnaini Jr., receberam nesta quinta feira, 28 de outubro, representantes do governo da Nova Zelândia. O encontro ocorreu na sede da Secretaria de Desenvolvimento e contou com a participação do ministro do Comércio e das Negociações Climáticas neozelandês, Tim Groser, e dos embaixadores da Nova Zelândia no Brasil, Mark Trianor e Matthew Paterson.

A reunião teve como objetivo promover a troca de experiências e discutir oportunidades de negócios entre o Estado de São Paulo e a Nova Zelândia. O governo neozelandês demonstrou interesse principalmente em parcerias na área de tecnologia voltada à agricultura. “Nossa prioridade hoje deixou de ser os países da Europa e miramos nas perspectivas que a América Latina oferece, em especial o Brasil”, afirmou o ministro.

No encontro, o presidente da Investe São Paulo destacou o ambiente de negócios no Estado de São Paulo e acrescentou informações sobre as vantagens competitivas do Estado e os seus principais projetos de investimentos.

Comércio Brasil-Nova Zelândia
Segundo dados do Ministério da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior do Brasil, divulgados em 2009, a corrente de comércio Brasil-Nova Zelândia registrou um crescimento médio de 18,9% ao ano de 2004 até 2008. As exportações brasileiras para o parceiro apresentaram queda de 50,9% de 2008 para 2009, o que refletiu no saldo comercial, fechando negativo em US$ 12,4 milhões o primeiro desde 2004.

Os principais produtos exportados pelo Brasil para a Nova Zelândia são: café, produtos hortícolas e instrumentos mecânicos, que representam 10,9%, 10,4%, e 9,1% do total, respectivamente. Caldeiras e máquinas e materiais elétricos concentram 47,6% dos produtos importados do parceiro pelo Brasil em 2009. Dados do Banco Central informam que, em 2009, o Brasil recebeu US$ 3,1 milhões de investimentos diretos da Nova Zelândia.

Economia da Nova Zelândia
A Nova Zelândia deixou de ser um país de economia agrária, dependente do mercado britânico, transformando-se em um país de economia de livre mercado, mais industrializada e mundialmente reconhecida. Esta dinâmica de crescimento ampliou e estimulou as capacidades tecnológicas do setor industrial neozelandês.

O país planeja aumentar sua produtividade e desenvolver sua infraestrutura, enquanto controla os gastos do governo. Em 2009, o total de exportações do país para o mundo foi de US$ 24,9 bilhões. Já as importações chegaram ao valor de US$ 23,4 bilhões, dos quais US$ 39,8 milhões foram importados do Brasil.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo