carregando...

Notícias

Notícias

Inclusão no Ensino Superior é tema de reunião na Secretaria



17/12/2013

O secretário de Desenvolvimento Econômico Ciência, Tecnologia e Inovação, Rodrigo Garcia, recebeu, nesta terça, (17/12), na sede da Pasta, os diretores das faculdades paulistas de Medicina de Marília (Famema), Dr. Paulo Michelone e de São José do Rio Preto (Famerp), Dr. Dulcimar Donizeti de Souza, além da superintendente do Centro Paula Souza, Laura Laganá, para debater novas propostas de inclusão no Pimesp.Também estavam presentes no encontro, o presidente da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), Carlos Vogth e o coordenador de Ensino Superior, Valdecir Carlos Tadei.

O Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior Público Paulista (Pimesp), foi lançado em 20 de dezembro, pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin e desenvolvido pelo Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp). A ideia é garantir que 50% das matrículas em cada curso e em cada turno das universidades públicas paulistas sejam ocupadas por alunos que cursaram integralmente o ensino médio em escolas públicas. Dentro dessa meta, o percentual de negros, pardos e indígenas deverá ser, também no mínimo, de 35% – valor verificado para a população do Estado de São Paulo no Censo Demográfico de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o secretário Rodrigo Garcia, as faculdades Famema e Famerp enviarão até fevereiro de 2014, os seus planejamentos para o Programa de Inclusão por Mérito e o Centro Paula Souza fará uma atualização em suas ações já exercidas. “É muito importante que todas as universidades e faculdades paulistas estejam completamente integradas ao Pimesp. A inclusão é um passo fundamental para o desenvolvimento”, completa.

O Pimesp prevê investimentos de R$ 27,017 milhões em 2014 e deve atingir R$ 94,679 milhões em 2021. A quantidade de vagas destinadas aos estudantes de escolas públicas será implantada gradativamente, começando com 35% em 2014, 43% em 2015, chegando aos 50% em 2016. As vagas serão válidas para USP, Unesp, Unicamp, Fatecs e para as Faculdades de Medicina de Marília e Rio Preto.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo