carregando...

Notícias

Notícias

Governo de SP inaugura Parque Tecnológico de Piracicaba



21/08/2012

Autoridades participam da inauguração do Parque Tecnológico de Piracicaba (Fabiano Guimarães/SDECT)

O governador Geraldo Alckmin e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, em exercício, Luiz Carlos Quadrelli, inauguraram nesta terça-feira o núcleo central do Parque Tecnológico Engenheiro Emílio Bruno Germek, em Piracicaba. O empreendimento faz parte do Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec).


De acordo com o secretário, em exercício, Luiz Carlos Quadrelli o parque incentiva o desenvolvimento tecnológico na região e amplia a interação entre universidades, institutos de pesquisas e órgãos do setor público e privado. “Ele aquecerá ainda mais a economia de Piracicaba, que possui um dos maiores PIB entre os municípios do interior paulista”, completa.

O parque está localizado numa área de mais de 680 mil metros quadrados, na Rodovia SP 147 Piracicaba-Limeira, dividido entre o centro administrativo, a incubadora de empresas de base tecnológica, laboratórios, auditório e hall de eventos. Até o momento foram investidos pelo Governo do Estado mais de R$ 12 milhões em obras, equipamentos e na construção da Faculdade de Tecnologia (Fatec).

O parque tecnológico de Piracicaba tem suas atividades voltadas para o setor de Biocombustíveis, Tecnologias de Conversão de Biomassa e Resíduos Agroindustriais, além de Tecnologias Ambientais. Instituições renomadas terão seus laboratórios integrados à iniciativa, entre elas: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/USP, União das Indústrias de Cana-de-Açúcar (Única), Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil (Orplana), Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

A iniciativa conta com laboratórios especializados em diversas atividades. São elas: Simulação e Modelagem, Métodos Quantitativos Especializados, Metrologia, Metalografia, Mecatrônica e Automação. Além disso, o parque abriga uma Faculdade de Tecnologia (Fatec) e uma unidade do Centro Federal de Educação Tecnológica.

Centro de Desenvolvimento de Gaseificação de Biomassa
Durante o evento, o governador assinou decreto para a liberação de recursos no valor R$ 5 milhões destinados ao Centro de Desenvolvimento de Gaseificação de Biomossa, que será integrado ao Parque Tecnológico de Piracicaba.

Em uma área de 18 mil m², o local abrigará uma planta-piloto, que desenvolverá a tecnologia de gaseificação do bagaço de cana-de-açúcar. O projeto é desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) com o apoio de empresas privadas e instituições.A gaseificação é vista como uma ferramenta de mitigação de emissão de gases de efeito estufa. O gás de síntese do bagaço de cana será avaliado em três aplicações: para a geração de energia elétrica, produção de biocombustível líquido e como precursor de biopolímeros, os chamados monômeros do plástico.

Sobre o Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec)
Criado em 2006, o SPTec oferece apoio e suporte aos parques tecnológicos, com o objetivo de atrair investimentos e gerar novas empresas intensivas em conhecimento ou de base tecnológica, que promovam o desenvolvimento econômico, científico e sustentável do Estado.

No Estado de São Paulo existem 30 iniciativas para implantação de parques tecnológicos. Dessas, 11 em discussão e 19 já credenciadas no SPTec, sendo duas com credenciamento definitivo, São José dos Campos e Sorocaba e outras 17 com credenciamento provisório: Araçatuba, Barretos, Botucatu, Campinas (três iniciativas: Polo de Pesquisa e Inovação da Unicamp, CPqD e CTI-TEC), Ilha Solteira, Mackenzie -Tamboré, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santo André, Santos, EcoTecnológico Dahma São Carlos, São José do Rio Preto e São Paulo (duas iniciativas: Jaguaré e Zona Leste).

Incentivos fiscais
As empresas instaladas em parques tecnológicos do SPTec podem participar do programa estadual de incentivos fiscais, chamado “Pró-Parques”. Instituições de apoio e empresas de base tecnológica poderão utilizar créditos acumulados de ICMS ou diferir o imposto para pagamento de bens e mercadorias que serão utilizados na realização de investimentos e no pagamento de ICMS relativo à importação de bens ao ativo imobilizado.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo