carregando...

Notícias

Notícias

Goldman: A prioridade são as pessoas



15/01/2007

Em cerimônia de abertura da Feira Internacional de Calçados, Artigos Esportivos e Artefatos de Couro – Couromoda, na manhã desta segunda-feira (12/1), no Anhembi, o secretário de Desenvolvimento Alberto Goldman respondeu a perguntas sobre o acidente ocorrido nas obras da linha amarela do Metrô.

Ao comentar o envio de técnicos do IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas, ligado à Secretaria de Desenvolvimento -, Goldman frisou a importância de dar prioridade às possíveis vítimas e familiares. “Neste momento, a nossa preocupação são as pessoas, as eventuais vítimas desse acidente. Depois serão investigadas as questões técnicas”. A equipe técnica do IPT irá elaborar um laudo técnico das causas do desabamento, mas não há ainda um prazo de conclusão definido.

Como engenheiro e ex-ministro dos Transportes, Goldman afirmou que certamente houve falha na engenharia do processo e que a chuva não poderia ser a única culpada pelo acidente. “Se não houvesse a quantidade de chuva que houve, talvez o acidente não tivesse ocorrido. Mas um grande número de chuvas é previsível também. Ou seja, em qualquer episódio desses, há uma responsabilidade da engenharia do processo que, em algum momento, falhou. Agora, onde se localiza essa falha, quem falhou e como falhou, só poderemos afirmar depois de investigações técnicas”.

Apesar da tragédia, o acidente não comprometerá as obras como um todo, tão necessárias à cidade. “Todas essas obras feitas em cidades como a nossa (São Paulo) são obras que têm muita urgência. Urgência não quer dizer pressa. No metrô em São Paulo, nós temos um atraso de cerca de 30 anos. Portanto, todas as obras que estão sendo feitas hoje, deveriam estar prontas há muito tempo. Depois de averiguar quais são as responsabilidades e os dados técnicos que serão fornecidos, os eventuais responsáveis vão ter que pagar em todos os sentidos – do ponto de vista moral, financeiro e político. Mas com certeza a cidade não deve sofrer com a paralisação de uma obra tão importante”, concluiu o vice-governador.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo