carregando...

VÍDEOS

ÓRGÃOS VINCULADOS

Notícias

Notícias

Fóruns debatem planejamento ambiental



12/08/2009

 

Primeiro fórum do Pino reuniu mais de 100 pessoas no município de Santos (Divulgação/ACS)A Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, em parceria com as secretarias do Meio Ambiente e de Economia e Planejamento, realizou, nos últimos dias 11 e 12 de agosto, a primeira rodada de fóruns regionais para discutir a elaboração do Planejamento Ambiental Estratégico da Baixada Santista e do Litoral Norte (Pino), que irá auxiliar na expansão sustentável das atividades portuárias, industriais, de construção naval e de exploração e produção de petróleo e gás natural, com o início das atividades do pré-sal.

O primeiro fórum foi realizado em Santos, na terça-feira, dia 11, na sede da Associação Comercial, e contou com a participação das secretarias envolvidas, prefeituras da Baixada Santista e Vale do Ribeira, representantes de entidades portuárias, iniciativa privada e organizações ambientais. O evento contou com mais de 100 participantes, que discutiram temas como Porto, Indústria e Infraestrutura, com foco no zoneamento costeiro.

Já na quarta-feira, 12 de agosto, foi a vez de Ilhabela sediar o fórum que debateu os cenários do Litoral Norte. Mais de 80 pessoas participaram do encontro, que, entre outros temas, enfatizou a questão ambiental, com foco no turismo e no transporte.

De acordo com o coordenador de Infraestrutura e Logística da Secretaria de Desenvolvimento, José Roberto dos Santos, a participação da sociedade nos fóruns é importante para debater os impactos e os benefícios dos investimentos portuários, navais, industriais e petrolíferos com a exploração do pré-sal. “O objetivo é elaborar avaliações sobre a capacidade de suporte ambiental, social, econômico e de uso dos equipamentos públicos com os novos cenários da cadeia do petróleo”, explica.

O planejamento irá auxiliar investidores e gestores públicos com a criação de uma base de dados técnicos e com orientações para obtenção de licenças ambientais com maior agilidade, além de prestar apoio aos municípios, definir compensações ambientais e integrar planos federais, estaduais e municipais.

Fórum realizado em Ilhabela enfatizou a questão dos impactos ambientais (Thais Bortolato/SD)Neste primeiro momento, os encontros irão debater questões como quais são as áreas que têm condições para implantação de estaleiros, bases de apoio (offshore), terminais portuários e instalações industriais; capacidade de infraestrutura, transporte e energia para atender às demandas futuras da indústria de transformação e petrolífera; suporte dos ecossistemas frente aos potenciais investimentos e seus impactos cumulativos; e também temas ligados à habitação, saneamento, mão-de-obra, recursos naturais, entre outros.

Segundo estudos da Comissão Especial de Petróleo e Gás Natural do Estado de São Paulo (Cespeg), o litoral paulista tem potencial para receber, no mínimo, um estaleiro de grande porte e dois pequenos, além de três bases de apoio marítimo (supply bases), aeroportos, heliportos e áreas industriais que somariam 3 milhões de m². “Com os novos projetos, a estimativa é atrair R$ 6 bilhões em investimentos levando em consideração apenas empreendimentos na área portuária. Por isso, é importante definir diretrizes de atuação bem claras para trazer esses benefícios para a região, e ao mesmo tempo prevenir resultados indesejados em termos urbanos, sociais e ambientais”, destaca José Roberto dos Santos. Os próximos encontros estão agendados para os dias 14 de outubro, na Baixada Santista, e 15 de outubro, no Litoral Norte.

 

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo