carregando...

VÍDEOS

ÓRGÃOS VINCULADOS

Notícias

Notícias

Fernandópolis receberá diagnóstico das áreas de erosão



28/11/2013

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (SDECTI), Rodrigo Garcia, e a prefeita de Fernandópolis, Ana Maria Matoso Bim, assinaram nesta quinta-feira, 28 de novembro, convênio para realização de diagnóstico dos processos de erosão e assoreamento na área rural e urbana no município. Também participaram do encontro o secretário de Agricultura da cidade, Victor Mota e o técnico da SDECTI, Paulo Delgado.

De acordo com Rodrigo Garcia, esse relatório é essencial para diagnosticar a atual situação do local. “Agora, a prefeitura poderá seguir as recomendações e diretrizes necessárias para o controle e prevenção dos processos erosivos. O estudo será realizado por técnicos do IPT, um dos mais renomados institutos do Brasil”, acrescenta.

O estudo fará o levantamento bibliográfico da área, histórico do processo de erosão, levantamento das erosões lineares, hierarquização do desgaste urbano, elaboração de mapas de solo e propostas de prevenção e controle. Para a execução do trabalho será investido o total de R$ 227.913,80.  A SDECT fará um aporte de R$ 185.680,70 e a Prefeitura Municipal oferecerá em contrapartida R$ 42.233,10.

Segundo a prefeita Ana Bim, esse convênio é muito importante para o município. “Fernandópolis possui mais de 800 km de estradas rurais. Esse estudo levantará todas as áreas de riscos e nos dará diretrizes para precaver situações emergenciais em construções irregulares”, completa.

Sobre o Patem
O programa financia serviços especializados que utilizam a capacitação técnica do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para obtenção de laudos em municípios de pequeno e médio porte, que não contam com recursos e capacitação funcional para resolução de situações emergenciais.

O trabalho executado pelo Patem abrange as seguintes áreas: uso do solo, recursos minerais e água subterrânea, infraestrutura pública, distritos industriais e de serviços, e dinâmica socioeconômica municipal. Criado em 1989, já foram investidos de R$ 20 milhões em mais de 500 atendimentos em todo o Estado.

 Como funciona
Quando o município tem um problema que necessita de avaliação técnica do IPT, a prefeitura deve enviar ofício à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado (SDECT) relatando o tipo de situação a ser examinada. Se a solicitação atender às exigências do Patem, prefeitura e secretaria celebram o convênio.

Os técnicos do IPT visitam o município para levantar as informações necessárias para produção do diagnóstico, apontando problemas e as medidas necessárias para solucioná-los. O programa não repassa recursos para a realização de obras. Mais informações na Subsecretaria de Ciência e Tecnologia da SDECT pelo telefone (11) 3218-5735 / 5734.
 

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo