carregando...

Notícias

Notícias

Fatecs participam de programa de cotas



21/12/2012

O Centro Paula Souza, órgão do governo paulista responsável pelas Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais, fará parte do Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior Público Paulista (Pimesp), anunciado oficialmente nesta quinta-feira, 20, em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes. O programa, que entra em vigor em 2014, prevê reserva de 50% de vagas das universidades estaduais paulistas e das Fatecs para alunos oriundos de escolas públicas, e, dentro desses 50%, de 35% para pretos, pardos e índios. As metas deverão ser atingidas ao longo de quatro anos.

“Estamos dando mais oportunidade de acesso às universidades do Estado”, disse o governador Geraldo Alckmin. Além dele, estiveram presentes à cerimônia os reitores da Universidade de São Paulo (USP), João Grandino Rodas, e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Fernando Ferreira Costa, o pró-reitor de Administração da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Ricardo Samih, o coordenador da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), Carlos Vogt, e a diretora superintendente do Centro Paula Souza, Laura Laganá.

O Pimesp tem como objetivo promover o equilíbrio entre os percentuais de participação sócio-étnica na população do Estado e as matrículas no ensino superior público paulista. Para tanto, o Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) propôs as metas de aumento no número de matrículas de estudantes oriundos de escolas públicas. Dentro desse universo, o percentual de pretos, pardos e índios deverá ser, no mínimo, o correspondente à porcentagem deles na população brasileira verificada pelo IBGE no Censo Demográfico de 2010, que é de 35%.

Pontuação acrescida
“O programa é importante porque vai incluir com qualidade. O Paula Souza já faz isso: grande parte de seus alunos vem da escola pública”, afirmou Laura Laganá. A instituição já aplica desde 2006 uma política de inclusão, o Programa de Pontuação Acrescida, que concede bônus de 10% para estudantes oriundos da rede pública e 3% aos afrodescendentes, sendo os dois benefícios cumulativos (somando até 13%). Com isso, 77% dos matriculados nas Fatecs estudaram exclusivamente em escola pública.

Dos 22.538 alunos que ingressaram nas Fatecs em 2012, 5.355 são afrodescendentes e 16.853, oriundos da rede pública. A diferença entre essa realidade e a meta a ser atingida pelo programa diz respeito a cursos e turnos onde o número de matriculados ainda não atinge a porcentagem proposta, o que acontece especialmente em cursos e unidades mais disputados.

Para alcançar a meta, o Centro Paula Souza preencherá vagas com alunos provenientes de cursos superiores sequenciais de dois anos de duração, os colleges, a serem implantados pelo Governo em parceria com a Univesp. No caso das Fatecs, os alunos dos colleges poderão tentar uma vaga após um ano de curso, e não dois, como no caso dos interessados em uma vaga nas três universidades paulistas (USP, Unicamp e Unesp).

“Estamos criando 2 mil vagas no Ensino Superior, o que vai garantir acesso a ensino de qualidade sem vestibular, por meio desses colleges”, explicou o governador. “Esses alunos também terão uma bolsa.” Trata-se da proposta de bolsas-manutenção de meio salário mínimo (R$ 311,00) aos alunos com renda familiar inferior a 1,5 salários mínimo, com o propósito de suprir necessidades fundamentais de transporte e alimentação. Os contemplados serão avaliados mensalmente quanto à sua participação nas atividades escolares.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo