carregando...

Notícias

Notícias

Fatec cria biodigestor para produção de fertilizante



11/09/2009

Biodigestor foi desenvolvido no laboratório de Alimentos da Fatec Marília (Gastão Guedes/Ceeteps)

O município de Marília passa a contar, a partir de terça-feira, 15 de setembro, com um biodigestor para a produção de biofertilizante. A instalação do equipamento, desenvolvido por meio de um projeto de graduação de uma aluna da Faculdade de Tecnologia (Fatec) de Marília, vai dar suporte ao programa de educação sanitária e tecnológica em produção de hortaliças, realizado por meio de uma parceria entre a Fatec e a Escola Técnica Estadual (Etec) Paulo Guerreiro Franco, de Vera Cruz – município vizinho.


O biodigestor vai ser implantado na Horta Comunitária Vinhas do Senhor, no bairro de Santa Antonieta - onde moram cerca de 30 mil famílias – e será alimentado com resíduos da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e também da própria horta. Produzido a partir da decomposição dos materiais, o biofertilizante vai ser usado na adubação das hortaliças produzidas pela comunidade. A capacidade do equipamento é de 1,3 mil litros de resíduos orgânicos. A previsão é de que a produção comece ainda neste ano.

A implantação do equipamento é um importante complemento ao projeto, que contempla tanto aspectos econômicos quanto ambientais. “Na tecnologia em alimentos existe a necessidade de se tratar o resíduo da produção. No caso da horta, esse reaproveitamento vai diminuir os gastos com fertilização, além de evitar o acúmulo de lixo orgânico produzido tanto na horta quanto na Ceagesp”, explica a diretora da Fatec de Marília, Cláudia Nicolau Mendonça.

Os próprios estudantes, sob orientação dos professores, ficarão responsáveis por monitorar o biodigestor. A experiência vai ser aproveitada em trabalhos de conclusão de curso dos alunos da Etec e da Fatec. O biodigestor e os acessórios para o funcionamento da tecnologia foram doados pelas empresas Acqualimp e Glassmar.

Os próprios estudantes ficarão responsáveis pelo monitoramento do biodigestor (Gastão Guedes/Ceeteps)

Etec, Fatec e comunidade do mesmo lado 
Tanto a Etec de Vera Cruz quanto a Fatec de Marília estão presentes na vida da comunidade, participando de todas as etapas do processo produtivo da horta. Os alunos do curso técnico de Agropecuária aplicam as técnicas de produção que aprendem na Etec orientando o plantio, a adubação, prevenção de pragas e colheita. A fase pós-colheita fica por conta dos estudantes de Tecnologia em Alimentos, da Fatec: higienização, manipulação e aproveitamento de alimentos, entre outras ações.


Para o diretor da Etec, José Fernando Pelozo, a parceria traz benefícios tanto para a atividade acadêmica quanto para a comunidade. “Esse trabalho de campo é importante para que os alunos encontrem situações reais de trabalho”.

Outro aspecto positivo apontado pelos diretores é a integração entre estudantes dos ensinos técnico e tecnológico. “A maioria de nossos alunos são de origem humilde. Vem das escolas públicas e acha que a faculdade é um sonho muito distante. Esse contato é um incentivo, mostra que um curso superior está mais próximo do eles imaginam”, afirma Pelozo.

“Essa convivência fortalece o caráter complementar que um curso tem em relação ao outro, porque cumpre três requisitos fundamentais da educação: ensino, pesquisa e extensão”, acrescenta Cláudia.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo