carregando...

VÍDEOS

ÓRGÃOS VINCULADOS

Notícias

Notícias

Estudo apontará alternativas energéticas para o setor de cerâmica em Panorama



14/08/2013

Deputado Aldo Demarchi, Rodrigo Garcia e prefeito de PanoramaO secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado, Rodrigo Garcia, e o prefeito de Panorama, Luis Carlos Cunha, assinaram nesta quarta-feira, 14 de agosto, um convênio por meio do Programa de Apoio Tecnológico aos Municípios (Patem), que prevê o estudo do capim elefante como alternativa energética renovável para o setor de cerâmica estrutural. O levantamento será realizado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). O encontro também contou com a participação do deputado estadual Aldo Demarchi.

Para o secretário Rodrigo Garcia, o estudo contribuirá para o desenvolvimento econômico sustentável do município. “Ele levantará novas formas de aproveitamento de biomassa para as indústrias do setor ceramista. Com algumas adaptações, os resultados obtidos poderão servir às industrias de cerâmica vermelha de outras regiões do Estado e do Brasil”, completa.
 
A pesquisa será realizada em três meses, e abrangerá  etapas como: amostragem e análise do solo, obtenção de mudas para a constituição de viveiro, extirpação de espécies invasoras, nivelamento do solo, neutralização, adubação, demarcação das áreas do projeto piloto e parecer técnico. O investimento total será de R$ 120.000,00, sendo R$ 110.900,00 financiados pela Secretaria e R$ 9.100,00 pela prefeitura.

Segundo o prefeito Luiz Cunha, o trabalho realizado por técnicos do IPT contribuirá para o aprimoramento das atividades das indústrias de cerâmica. “Hoje, para a produção é usada a queima de restos de madeira, bambu, carvão e outros materiais de alto valor calórico. Além de contribuir para o meio ambiente, o capim elefante trará vantagens econômicas”, ressalta.
 
De acordo com a equipe técnica do IPT, há uma grande demanda por energia na geração de calor para a queima dos produtos cerâmicos. O capim elefante mostra-se como alternativa de alta eficiência energética para esta finalidade, com a vantagem de manter em equilíbrio o balanço das emissões de gases do chamado efeito estufa.
 

Sobre o Capim Elefante
 
Planta de origem africana que possui crescimento rápido e alta produção de biomassa vegetal. É uma ótima fonte para a criação de energia renovável. Também é um excelente auxiliar na diminuição dos gases de efeito estufa, pois absorve altas taxas de CO2 (dióxido de carbono) liberados na atmosfera.
 
Entre as vantagens do capim elefante está a necessidade de pequenas áreas de terra para o plantio, além disso, o ciclo produtivo é rápido, o que aumenta a oferta de mercado e também auxilia na geração em grande escala de energia renovável. Nele,  tudo é aproveitado desde os colmos (tipo de caule) até as suas folhas, e a sua biomassa pode ser utilizada na combustão direta (queima em fornos ou caldeiras) para a produção de energia e biocombustível.
 
Sobre o Patem

A Secretaria de Desenvolvimento, Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT), por meio do Programa de Apoio Tecnológico aos municípios (Patem), financia serviços especializados que utilizam a capacitação técnica do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para obtenção de laudos em municípios de
pequeno e médio porte, que não contam com recursos e capacitação funcional para resolução de situações emergenciais.


O trabalho executado pelo Patem abrange as seguintes áreas: uso do solo, recursos minerais e água subterrânea, infraestrutura pública, distritos industriais e de serviços, e dinâmica socioeconômica municipal.

Como funciona

Quando o município tem um problema que necessita de avaliação técnica do IPT, a prefeitura deve enviar ofício à SDECT relatando o tipo de situação a ser examinada. Se a solicitação atender às exigências do Patem, prefeitura e secretaria celebram o convênio.

Os técnicos do IPT visitam o município para levantar as informações para produção do diagnóstico, apontando problemas e as medidas necessárias para solucioná-los. O programa não repassa recursos para a realização de obras.
Mais informações na Coordenadoria de Ciência e Tecnologia da SDECT pelo telefone (11) 3218-5735 / 5734.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo