carregando...

Notícias

Notícias

Equipe técnica visita Parque Tecnológico de Itaipu



02/06/2010

Diretores do Parque Tecnológico de Itaipu detalharam o funcionamento das atividades

Com o objetivo de conhecer as instalações e os moldes implantados em diversos parques tecnológicos de outros estados brasileiros, uma equipe da Coordenadoria de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo visitou, no último dia 25 de maio, o Parque Tecnológico de Itaipu, no Paraná.

A equipe, formada por três técnicos da Secretaria, conheceu as especificidades do parque, que tem como fonte de pesquisa a Usina Hidrelétrica de Itaipu, instalada nos arredores do empreendimento. Essa proximidade permite o acompanhamento das tecnologias que são constantemente implantadas na maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia.

As presenças da Usina e do Lago Itaipu sustentam os estudos do parque tecnológico. A energia e as águas representam o maior potencial da região. Além desses dois fatores, o turismo, que é bastante atrativo por conta do Parque Nacional do Iguaçu e as Cataratas, também é uma potencialidade em prol do Parque Tecnológico de Itaipu.

O Parque Tecnológico de Itaipu é formado por uma incubadora empresarial, laboratórios de última geração, uma plataforma de ensino a distância e projetos educacionais em todos os níveis, inclusive abrigando um Centro de Engenharias e Ciências Exatas da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

Ao lado da Usina de Itaipu, parque tem como foco pesquisa na área de energia

O grupo está percorrendo vários parques tecnológicos no país, com o objetivo de se informar sobre as novidades da área e buscar experiências que possam ser adicionadas ao Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec), e o roteiro começou pela Região Sul. Inicialmente, o projeto da Secretaria de Desenvolvimento consiste em se criar uma rede no estado de São Paulo, mas já é cogitada também a proposta de formar uma parceria nacional.

Após a visita ao Parque Tecnológico de Itaipu, os técnicos da Secretaria tiveram uma reunião com a diretoria e gerentes do Parque, que apresentaram detalhadamente as atividades desenvolvidas. O diretor administrativo-financeiro, Edison Luiz Brustolim, esclareceu aos visitantes sobre o funcionamento da Fundação Parque Tecnológico Itaipu, que gerencia o as instalações, e os seus objetivos, áreas de atuação e de interesse.

Sobre tudo o que viram, os integrantes da comitiva afirmaram ter ficado admirados. A assessora técnica da Secretaria de Desenvolvimento Yolanda Silvestre se disse impressionada, por exemplo, com o trabalho desenvolvido pelo Estacão Ciência. “Aquele centro infantil me chamou muito a atenção. É importante construir uma boa base para a educação, porque todos reconhecem que há um problema, mas poucos realmente atuam nessa área”, afirmou.

De acordo com a equipe, para instalar um parque tecnológico é preciso cumprir uma série de requisitos, entre os quais identificar a área de excelência do local. Para a assessora técnica Margareth Lopes Leal, o Parque Tecnológico de Itaipu está dentro do parâmetro que a Secretaria de Desenvolvimento busca. “O modelo do Parque é muito interessante. Ele está bem construído, com esse cuidado que tiveram de estudar todo o plano diretor e trabalhar dentro de um foco bem específico, que é a área de conhecimento que vocês tem competência”, disse, referindo-se ao meio ambiente, energia e turismo.

Sobre o SPTec
Em São Paulo, existem 30 iniciativas para implantação de parques tecnológicos. Desse total, 16 já estão com credenciamento provisório no SPTec: Barretos, Botucatu, Campinas (duas iniciativas: Polo de Pesquisa e Inovação da Unicamp e CPqD), Ilha Solteira, Mackenzie-Tamboré, Piracicaba, Santo André, Santos, São Carlos (duas iniciativas: ParqTec e EcoTecnológico), São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo (duas iniciativas: Jaguaré e Zona Leste) e Sorocaba.

O governo do Estado de São Paulo criou o Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec) para dar apoio e suporte aos parques tecnológicos, com o objetivo de atrair investimentos e gerar novas empresas intensivas em conhecimento ou de base tecnológica. Parques tecnológicos são empreendimentos para a promoção de ciência, tecnologia e inovação. São espaços que oferecem oportunidade para as empresas transformarem pesquisa em produto, aproximando os centros de conhecimento (universidades, centros de pesquisas e escolas) do setor produtivo (empresas em geral).

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo