carregando...

Notícias

Notícias

Entre os melhores



07/02/2007

O O trabalho de doutorado "Estudo e desenvolvimento de uma nova metodologia para confecção de sementes de iodo-125 para aplicação em braquiterapia", da pesquisadora Maria Elisa Chuery Martins Rostelato, recebeu menção honrosa, dentre os seis selecionados ao Prêmio de Incentivo em Ciência e Tecnologia para o SUS - 2006, na respectiva categoria. A cerimônia de entrega da premiação foi realizada no dia 6 de dezembro de 2006 em Brasília-DF. O trabalho vencedor, na categoria doutorado, foi desenvolvido pelo pesquisador Saint Clair Gomes Junior, do Instituto Fernandes Figueira da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A tese vencedora, "Modelo de simulação da infra-estrutura necessária à assistência oncológica no Sistema Único de Saúde" foi orientada pela professora Rosimary Terezinha de Almeida, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Os trabalhos serão divulgados na Biblioteca Virtual de Saúde do Ministério da Saúde (www.saude.gov.br/bvs).

O objetivo do prêmio conferido pelo Ministério da Saúde é incentivar a produção científica voltada para o SUS. É concedido em quatro categorias: doutorado, mestrado, trabalho publicado e especialização. De acordo com o gerente do Centro de Tecnologia das Radiações (CTR) do Ipen, Wilson Calvo, a seleção do trabalho reflete o reconhecimento pelo esforço e dedicação da pesquisadora, de sua orientadora e das equipes do CTR e do Centro de Radiofarmácia, na área de braquiterapia, além da grande importância da pós-graduação do Ipen/USP e do apoio da Fapesp.

A pesquisa de Rostelato, orientada por Constância Pagano Gonçalves da Silva, contou com financiamento da Fapesp. Trata da fabricação de sementes de iodo-125, utilizadas no tratamento do câncer de próstata, com tecnologia inteiramente nacional. O grupo de pesquisas do Centro de Tecnologia das Radiações do Ipen foi responsável pela conquista. Com isso, o Brasil passou a integrar um seleto grupo de países que dominam a tecnologia, como Inglaterra e Estados Unidos.

As sementes de iodo, que têm tamanho aproximado de um grão de arroz, são implantadas, por meio de agulhas especiais, na próstata do paciente. O tratamento chamado de braquiterapia utiliza a radiação muito próxima ou em contato direto com o órgão afetado. É indicado especialmente nos estágios iniciais da doença. Em média, são utilizadas de 80 a 120 sementes por paciente.

No último dia 27 de novembro, Dia Nacional de Combate ao Câncer, dados divulgados pelo Inca apontaram o aumento da taxa de mortalidade por tumor de próstata em 95,48%, entre 1979 e 2004. Trata-se do segundo tipo de tumor que mais mata os homens no país, depois do câncer de pulmão.

Informações sobre os trabalhos vencedores ao Prêmio de Incentivo em Ciência e Tecnologia para o SUS - 2006 no site http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/premio%20resultado%20final.pdf

Fonte: Site IPEN

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo