carregando...

VÍDEOS

ÓRGÃOS VINCULADOS

Notícias

Notícias

Convênio entre Fapesp e ministérios apoiará pesquisas voltadas à internet



18/12/2013

Serão destinados  R$ 98 milhões para projetos de pesquisas que contribuam para o desenvolvimento da internet no Brasil

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Rodrigo Garcia, participou, nesta quarta-feira, (18/12), da cerimônia, na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp),  que marcou a celebração de convênio de cooperação entre a  instituição paulista e os Ministérios de Ciência , Tecnologia e Inovação (MCTI) e das Comunicações (MiniCom). A iniciativa apoiará projetos de pesquisas científica e tecnológica que contribuam para o desenvolvimento da internet no País. Pariciparam do encontro, o ministro de MCTI, Marco Antonio Raupp, o ministro do MiniCom, Paulo Bernardo Silva, o presidente da Fapesp, Celso Lafer, o assessor Especial para Assuntos Estratégicos do Governo de São Paulo, João Carlos Meirelles e outras autoridades.

O Convênio de Cooperação, aprovado pelo Conselho Superior da Fapesp, destinará R$ 98 milhões para projetos de pesquisas de todo o país. São Paulo contará com 47% dos recursos. O valor é proporcional à receita relativa aos registros e à manutenção de domínios solicitados em cada Estado brasileiro no período de 1998 a 2005.

De acordo com Lafer, o convênio será implementado por um comitê gestor formado por representantes da Fapesp, do MCTI e do MiniCom. “Poderão apresentar propostas pesquisadores de instituições de ensino superior, de pesquisa e de pequenas empresas de base tecnológica. Os projetos deverão ser alinhados com pelo menos três eixos de investigação, entre eles, aplicações-chave para internet, engenharia e tecnologia e fundamentos científicos”, explicou.

Além dos eixos estratégicos, os projetos deverão estar direcionados a seis linhas de pesquisa, entre elas: Tecnologia Viabilizadora da Internet; Aplicações Avançadas da Internet, Comunicação em Rede e Cultura Digital; Políticas Relativas à Internet; Software Livre; Formatatos e Padrões Abertos e Aplicação de Tecnologia de Informação e Comunicação. As propostas selecionadas serão analisadas pelo Comitê Gestor.

De acordo com Rodrigo Garcia, esse convênio é muito importante para desburocratizar o acesso à internet. “Ele vai promover, fomentar e contribuir para o desenvolvimento da rede no Brasil. O Governo paulista coloca a Ciência, Tecnologia e Inovação, como um dos eixos centrais para o desenvolvimento econômico”, completou.

Na ocasião, o ministro Raupp destacou o papel dos Estados na política de Ciência Tecnologia. “A inovação científica e tecnológica precisa ser desenvolvida nos estados. Eles são responsáveis pela diversidade  e garantem a continuidade das ações”, ressaltou.

Já o ministro Paulo Bernardo falou que esse tipo de cooperação é a melhor destinação de recurso público aplicado em pesquisa. “Podemos melhorar a internet no Brasil. Vamos promover a universalização da rede e ampliar o seu acesso. Segundo pesquisas, a internet está em 44% dos lares brasileiros, pretendemos que esse número alcance os 90% de outros meios de comunicação, como a TV e rádio”, disse.

O assessor Especial para Assuntos Estratégicos do Governo paulista, João Carlos Meirelles ressaltou que o encontro foi uma reunião republicana, que tratou de um interesse comum do estado nacional. “Essa iniciativa colocará o país na altura de uma sociedade moderna, que tem entre as principais demandas a comunicação. É muito importante disponibilizar os serviços da Fapesp voltados à tecnologia, ciência e inovação aos outros estados”, concluiu.
 
Internet no Brasil
O apoio à pesquisa ligada ao desenvolvimneto da internet já estava previsto na resolução CGI.br 02/1998 que delegou à Fapesp a tarefa de administrar o registro de dominínio e colocação de endereços de IP. Quando a Fundação assumiu essa tarefa, em 1998, a internet brasileira contava com 27 mil registros de domínio. Em janeiro de 2006, o número de domínios ultrapassava a casa dos 850 mil. Hoje, são mais de três milhões.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo