carregando...

Notícias

Notícias

Combustão e meio ambiente



13/06/2014

Fonte: IPT
 
A capacitação do corpo técnico de órgãos públicos contribui para a fiscalização com embasamento técnico e ações ambientais mais consistentes. Para as indústrias, o conhecimento do processo de queima de combustíveis permite menor consumo, maior eficiência e adequação à legislação. Esta transferência de conhecimento sob medida para atender as necessidades tanto de órgãos públicos, quanto de indústrias, pode ser otimizada em cursos do tipo in company ministrados por técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) com ampla experiência no mercado e capacitação.

Um caso exemplar foi o dos técnicos da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), órgão ambiental do governo de Minas Gerais. No final do mês de abril, uma parceria que envolveu a Diretoria de Gestão da Qualidade Ambiental da Feam e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais viabilizou a realização do curso 'Combustão Industrial e seus Impactos Ambientais' pelo IPT, formatado para atender às necessidades do cliente.

O curso, realizado na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves em Belo Horizonte, foi ministrado pelo pesquisador Renato Vergnhanini Filho, do Laboratório de Engenharia Térmica do IPT. Na modalidade in company já haviam sido ministrados cursos para empresas como Cesp, Rhodia, White Martins, Brahma (atual AmBev), Cosipa (atual Usiminas), Petrobras Distribuidora, Petrobras Revap, Comgás, Cadam e Copene (atual Braskem).

TEMAS – Com carga horária de 32 horas, foram tratados temas como estequiometria das reações; combustíveis gasosos, líquidos e sólidos; principais equipamentos encontrados na indústria; poluição do ar e legislação ambiental; mecanismos de formação dos poluentes atmosféricos, como óxidos de enxofre e nitrogênio, monóxido de carbono e material particulado; técnicas de abatimento dos poluentes aplicadas ao combustível, aos gases gerados e ao processo; técnicas e instrumentos de medição da composição dos gases efluentes do processo (métodos da Agência Ambiental dos Estados Unidos, técnicas de medição in-situ e extrativas, analisadores contínuos); balanços de massa e energia.

Os 20 participantes do curso receberam um conjunto de apostilas e os aplicativos desenvolvidos pelo laboratório do IPT para cálculos estequiométricos e de eficiência térmica.

VISÃO DO CLIENTE – De acordo com a diretora de Gestão da Qualidade Ambiental da Feam, Liliana Nappi Mateus, o curso contribuiu para uma melhor compreensão dos técnicos do órgão sobre o tema: “Conhecendo os processos e as condições operacionais referentes à combustão, poderemos refletir e buscar formas de minimizar os impactos inerentes.” Para Liliana, o conteúdo do curso será importante para buscar soluções referentes às emissões atmosféricas: “Esse aprendizado, aliado a outras capacitações que possam contribuir com a política de proteção, conservação e melhoria da qualidade ambiental, será de extrema importância para desenvolver métodos de controle e mitigação junto a novas tecnologias”.

Para Vergnhanini, essa atividade é benéfica para o IPT porque vai ao encontro de uma das principais missões do Instituto, que é a disponibilização do conhecimento adquirido por sua equipe técnica, e também pode propiciar um desdobramento negocial: “É comum, no decorrer ou após um destes cursos, sermos procurados para a contratação de estudos e serviços. Neste caso, por exemplo, a diretora da Feam manifestou interesse em firmar uma parceria com o IPT para as indústrias do estado de Minas Gerais receberem orientações na operação de processos de combustão ambientalmente sustentáveis”.

MAIS DESENVOLVIMENTO

Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo